domingo, 27 de fevereiro de 2011

PACIÊNCIA,COM OS PÉS...

SERRA DA CAPIVARA

Recebi a incumbência de fazer uma pesquisa sobre a Serra da Capivara. Fiquei preocupado porque este recanto, protegido pela UNESCO, é praticamente desconhecido por aqui. Eu mesmo, que morei um tempo no Piauí, não sabia de sua existência além do aparece em cadernos de turismo, que leio poucas vezes.
Eu poderia falar do Piauí um pouquinho, aquelas piadas velhas com sua vizinhança, uma política terrivelmente a favor das elites proprietárias de terra ou grandes comerciantes, uma vez que o estado não tem indústrias suficientes para se chamar de "parque industrial". Eu morei num oásis, a cidade de Parnaíba, antiga capital até que o Rio Parnaíba fosse substituído pelas estradas e Teresina surgiu para ser a única capital do Nordeste que não está à beira mar. É como um único ponto de abastecimento no meio da Europa. Um calor tremendo e uma cidade sem encantos, projetada para funcionar, como um escrtitório de fábrica. Só que não sabiam como era uma fábrica. 
Parnaíba não é uma cidade litorânea, é fluvial. Fica no delta do Rio que lhe batizou, um paraíso ecológico que faz fronteira com o Maranhão. São dezenas de ilhas, uma paisagem linda. Para  ir à praia, rodamos alguns quilômetros pela Ilha Grande de Santa Isabel para chegar à Pedrta do Sal, que divide duas praias, uma de ondas e barrenta como o rio e outra uma pequena enseada, águas límpidas e calmas. Entre elas, um bar onde se come belos tiragostos de pescada amarela, carangueijos, camarões... E cerveja quente. A gente acostuma com tudo quando criança...Ou no sentido oposto, na direção do Ceará, com mais cinquenta quilômetros de praias lindas a partir do município vizinho de Luís Correia. Minha preferida era a praia do Coqueiro, que durante boa parte do ano ficava sem acesso por causa de uma duna que invadia a estrada.Em 1980 só tinha uma aldeia de pescadores, em cujas moradias podíamos comer peixe frito da melhor qualidade, e cerveja quen...Deixa pra lá.
O idioma falado é o Português NE, misturado com o francês dos rapazes das famílias abastadas cuja educação, durante o século passado, era na Europa. Quando, numa conversa de tiquira e cerveja, observei que era muito chique a alta sociedade parnaibense, fui corrigido: não era bem o que eu estava pensando. Era mais barato mandar os filhos para estudar na França do que no Rio ou Sumpaulo! No que completei: e passar férias também!
Foi interessante o tempo que passei lá, aprendi muito com os costumes locais, fui capturado definitivamente pelos peixes na dieta - o que faço até hoje - e o gosto por uma rede, que me serviu de cama numa temporadinha no sertão - trabalhei no município de Cocal, onde até no único pouso da cidade se dormia na rede. Não tive curiosidade de perguntar mas acho que cama mesmo só no bordel. 
O Parque Nacional da Serra da Capivara fica a uns 800 km de Parnaíba, tomando-se uma estrada imaginária, uma reta fumegante atravessando a caatinga, sertão a dentro, até perto da fronteira de Pernambuco. Como se poderá ver nos vídeos que publiquei aqui, o caminho melhor é a partir do Recife. Mas é lindo! Um paraíso ecológico e suas pinturas rupestres e achados arqueológicos vão acabar desmentindo tudo e afirmando que a vida começou bem alí! Tudo o que consegui a respeito dele foi na Internet, basta fazer a busca no Google. Apesar da vida rude do sertao, passar alguns meses por lá me fariam muito bem à saude física e mental. Quem sabe?


sábado, 26 de fevereiro de 2011

ANÓNIMO

Um anónimo é um anónimo.
Merece,quando muito,um pcf!

O ANTI-JOGO

Tu,em tua casa,levas com 2 a zero.
E,depois,vens fazer queixinhas do anti-jogo?!
Deita-te cedo e acorda para a vida!
Hoje sabe-se que nem o Afonso nasceu aí...

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Nunes Araújo Visitou a Serra da Capivara

PARQUE NACIONAL DA SERRA DA CAPIVARA Parte 02

PARQUE NACIONAL DA SERRA DA CAPIVARA Parte 01

Serra da Capivara - Piauí

8 HORAS NA URGÊNCIA DOS HUC

Por vezes temos contacto com o chamado "país profundo".
Nada de radical,mas uma visão séria é-nos dada na permanência,durante algumas horas,numa urgência hospitalar(neste caso,os HUC).
Fui para lá por decisão própria e não numa qualquer situação de emergência(o que já me tinha acontecido,anos antes).
Eu sabia que,mais dia menos dia,iria passar por ali.
Por isso,resolvi deixar as coisas preparadas na retaguarda e avançar para obter a saúde possível(tinha previsto,inclusivamente,ficar internado).
Comecei,após a inscrição,pela passagem pelo Gabinete de Triagem,onde me seria dada  uma prioridade de atendimento,para o meu caso.
Foi-me atribuída uma pulseira laranja.
A partir daí é que entrei verdadeiramente na URGÊNCIA.
Uma confusão que não passa pela cabeça de ninguém.
As equipes de saúde fazem verdadeiros milagres em condições semelhantes às de um teatro de guerra.
E todo aquele pessoal,semelhante a deuses,tem uma palavra de simpatia,esforça-se por tratar os doentes pelo nome,gere uma confusão organizada com grande competência.Atende doentes em qualquer sítio,porque não há macas nem cadeiras de rodas para todos.
Por vezes,aparecem macas com doentes com as mais variadas maleitas e os pacientes parece que "nascem" como cogumelos.Aquela equipe não tem reforços,não tem pausas,não tem descanso.
E trata da nossa saúde.
Há doentes que,para além de estarem doentes,são mal-educados e soltam impropérios da boca para fora,com linguagem semelhante à dos velhos carroceiros.
Nem com estes a equipe vacila.
Basta lá estar um tempinho para perceber porque defendemos o SNS e o temos no cimo de qualquer dos serviços que o Estado nos presta.
Homens e mulheres,de muito valor humano,cuidam da nossa saúde por um salário miserável e em condições de trabalho mais parecidas com as do 3ºmundo(Coimbra,capital da saúde?Só para rir!).
Tem médicos/as,enfermeiros/as,técnicos/as,auxiliares,etc. que,profissional e humanamente,são do melhor que há.
Obrigado a todos.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

ESTORINHA DE FUTEBOL

Em finais dos anos 70 apareceu um dirigente desportivo que,graças à sua peculiar maneira de estar,se manteve "em alta" até ao início dos anos 90.
Estou a falar de Manel João,Presidente do Portimonense.
Ao tempo já se falava na promiscuidade de negócios entre Câmara e clube.
O que é certo é que Manel João defendia o seu Portimonense e,durante cerca de 20 anos,conseguiu mantê-lo na 1ª Divisão.
Ao tempo,o Manel João era mais conhecido que o Alberto João!
Contam-se várias estórias da sua actividade como dirigente.
Para mim,uma das mais deliciosas é quando ele decide deixar de pagar à equipa e,inclusivamente,mete-lhes um processo para ser indemnizado,por ter sido ludibriado.
A argumentação era simples:ele tinha contratado uma equipa de profissionais de futebol,em que todos apresentaram o c.v. e a sua carteira profissional.Se o apuro técnico não era assegurado,era seguro que no mínimo conheciam as regras do desporto de que eram profissionais e,portanto,sabiam praticar o jogo.
Manel João conseguiu provar que eles nem as regras do jogo conheciam,portanto,não tinham direito a ordenado!
Nos tempos que correm,em muitos clubes está a ser preciso um Manel João!

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Jards Macalé = Ensaio

GREVE DO VENTO!

Romance das caveiras - Paulo Freire

FOI UM PEQUENO INCÊNDIO,MAS A CASA NÃO ARDEU

Há coisas que só acontecem aos outros...
Quem acredita que um velho reformado,com uma agenda social hiper-preenchida,tem falta de tempo para tratar de coisas básicas?!
Após uma semana intensa(pensava que teria uma alegria com a Briosa,no passado domingo,mas nem isso),estirei-me a noite passada no sofá,com um Cardhu no balão e,finalmente,a fumar um cigarro(nesta parte,as coisas melhoraram:os 20 cigarros já dão para 3 dias) e,de repente tinha a minha salita cheia de fumo!!!
A lareira estoirou!A chaminé estava em chamas!
Foi tempo de acordar a mulher,dizer-lhe para ligar para o 112 a chamar bombeiros,enquanto eu tentava minimizar os estragos.
Os bombeiros,sapadores e voluntários,mais a polícia demoraram pouco mais de 5 minutos a chegar.
Entretanto,com toda a minha ciência,eu já quase tinha resolvido a situação.
Mas eles,os técnicos,sem me causarem qualquer estrago,fizeram o rescaldo e apagaram a chaminé.
Por acaso,a chaminé foi limpa no verão passado.
Houve um problema técnico com a lareira,que estoirou!
Agora,nada de lenha!
Espero pela "inspecção" da lareira,este fim de semana.
A coisa esteve PRETA,quando o fumo desatou a saír da parede...
Felizmente,nesta velha casa(construida em 1902) correu tudo bem e,neste momento,estou a "repescar" o Cardhu da noite passada.
Um abraço a todos.   

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

TERMO DE IDENTIDADE E RESIDÊNCIA

A mulher,por sinal ucraniana,acendeu uma vela e,enquanto via um filme,adormeceu.
A casa ardeu.Houve vítimas.
A residência desapareceu.
A mulher é acusada de homicídio por negligência.
Até ao julgamento,está com "termo de identidade e residência".
Será que salvou os papeis da identidade?
E onde é a residência?
Isto faz algum sentido??!!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011