segunda-feira, 31 de março de 2008

A MORTE DE PORTUGAL


Este é o título de um ensaio de Miguel Real (edição Campo das Letras)
que foi recomendado por José Amaral,no seu Ad Litteram.
São cento e poucas páginas que,para um viciado na leitura como eu,se devoram num instantinho.
Acontece que o interesse da matéria me põe a leitura em stand by,quase a cada parágrafo,e o espírito vai vadiando,comparando,reflectindo...
Chega ao desplante de vadiar por zonas com que o ensaio nada terá,directamente,a ver.
A leitura viciada é rápida.
A LEITURA é muito lenta.
Não tenho coragem para emitir opinião...
Limito-me a aconselhar,vivamente,a sua leitura.
São 10 euros bem empregues.
Deixo-vos,para abrir o apetite,a transcrição da contra-capa:
Na linha de Eduardo Lourenço,este pequeno ensaio diligencia desenhar os quatro complexos culturais por que Portugal se foi concebendo a si próprio ao longo de 800 anos de História:ora um país gerado exemplarmente no mais remoto dos tempos e contra as difíceis circunstâncias (Viriato);ora um país que,durante e após os Descobrimentos,se vê a si próprio como nação superior às demais,sintetizada na majestática arquitectónica do Quinto Império do padre António Vieira,Fernando Pessoa e Agostinho da Silva;ora um país que,fracassado o sonho grandiloquente do Império,se lastima e se penitencia,considerando-se nação inferior,passível de máxima humilhação (Marquês de Pombal);ora,finalmente,país mesquinho,venenoso e bárbaro,permanentemente ansioso de purificação ortodoxa,no qual cada corrente política e intelectual tem sobrevivido da canibalização das correntes adversárias,negando-as e humilhando-as.Por efeito do ambiente educacional e social,cada português percorre na sua vida,recorrente e ciclicamente,estas quatro figurações da sua história e da sua cultura.

Vale a pena ler o ensaio.
Vale a pena visitar o blog de José Amaral em:
http://cmatossantiago.no.sapo.pt
AD LITTERAM


O FIM DO MUNDO


Pyotr Kuznetsov é o líder de uma seita que vive entrincheirada em Nikolskaya (Rússia).
O grupo tem cerca de trinta pessoas e acredita que cartões de crédito e códigos de barras são "produtos" satânicos,anunciadores do fim do mundo.
O mundo acabará,segundo a sua crença,em Abril ou Maio.
Por isso,encerraram-se num bunker aguardando o fim.
A polícia tenta negociar a libertação de cinco crianças.

Fotografia de Denis Sinyakov/Reuters

ABELHUDOS


Nem sempre os conseguimos "isolar",como gostaríamos!
Por vezes causam-nos estragos grandes.
Estou a tentar reparar os que me foram causados.
Cuidado com os "abelhudos"!

domingo, 30 de março de 2008

NELSON CAVAQUINHO

Não há nenhuma razão especial para estar escrevendo hoje sobre Nelson Cavaquinho, a não ser os vídeos que assisti no site ocourodocabrito.blogspot.com, em especial os retirados de um documentário sobre ele, produzido pelo Leon Hirzman. Tenho acompanhado de longe essa retomada do samba, da geração da Lapa carioca, os novos compositores que estão aparecendo. Não quero ser saudosista, mas nenhum se compara, nem de muito longe, com Nelson Cavaquinho e Cartola, para não falar de muitos outros, uma lista infindável de poetas e compositores que fizeram os alicerces desse gênero musical como faziam os de seus barracos nos morros cariocas: estão lá até hoje! Muitos foram derrubados pelas chuvas de verão, políticos e outras calamidades. Mas, com certeza, os bem fundamentados continuam firmes, onde ninguém repara, sustentando tudo. Do chão pra cima, tudo pode mudar se a base é sólida. É o caso de Nelson Cavaquinho. Tive os primeiros contatos com seus sambas através dos discos do Paulinho da Viola. E foi no grande disco Dança da Solidão que minha paixão pelo sambista tomou forma e conteúdo, ao ouvir “Duas Horas da Manhã”, parceria com Ary Monteiro, onde percebi o que me espantava no Nelson: o poder de síntese. Grande parte de seus sambas tem por volta de oito versos, poucos passam de doze. Naquele formato quase haikay, ele dizia tudo o que queria. Nunca estive com ele nos botequins onde fazia suas canções, mas acho que quando dava por terminado o trabalho, devia dizer sempre:

- E tenho dito!

Nesse mesmo disco fui abduzido pelo Cartola, com a linda gravação de Acontece. Mas esse outro mestre fica para outra ocasião. Escolhi dois vídeos para colocar no blog, com sambas geniais.
Pranto de Poeta, com Guilherme de Brito, tem oito versos e pronto! Nelson aborda um dos temas mais constantes de sua obra: a morte. Mas, como o Nelson Rodrigues do samba, fala da bruxa com a poesia de sempre, é sua matéria prima, como os tipos, os dramas e alegrias do povo brasileiro.

“Em Mangueira quando morre um poeta todos choram
Vivo tranqüilo em Mangueira porque
Sei que alguém há de chorar
Quando eu morrer´

Mas o pranto em Mangueira é tão diferente
É um pranto sem lenço que alegra a gente
Hei de ter um alguém pra chorar por mim
Através de um pandeiro e de um tamborim”

"Revertério" é o nome da música do segundo vídeo. Composição da segunda metade da década de 50, também em parceria com Guilherme de Brito:

“Do pó vieste e para o pó irás
Neste planeta tudo se desfaz
Não deves sorrir do mal-estar de alguém
Porque o teu castigo chegará também
Vives como um fidalgo
Guardes a tua riqueza
Que eu ficarei com a pobreza
Eu me considero rico em ser pobre
Sejas como eu que sempre soube ser nobre
Tens um coração de pedra, de ninguém tens dó
Tu também és um que vieste do pó
Vives como um fidalgo
Guardes a tua riqueza
Que eu ficarei com a pobreza”

Este samba não se enquadra na observação "métrica" que fiz acima, talvez por se tratar de um tema vasto, discutido desde que o homem é homem: a pobreza e a riqueza, conceitos demasiadamente humanos.
Eu ia dar por dito meu trabalho por aqui, mas lembrei-me de outro vídeozinho que não poderia deixar de mostrar, não tanto pelo samba – mais um de seus quase haikays geniais – mas pela ambientação: o botequim à noite, com o sambista e seu violão e os amigos em volta – mulheres e crianças primeiro, diria seu xará que era almirante. Salut!

“Vou partir não sei se voltarei...
tu não me queiras mal
hoje é carnaval
partirei para bem longe
não precisas te preocupar
só voltarei pra casa
quando o carnaval acabar,acabar”

video
Pranto de Poeta

video
Revertério





Vou Partir
video

sábado, 29 de março de 2008

HILLARY PROVA!


Chegou à Bósnia debaixo de fogo!

E agora não acreditam?

Julgam que foi um passeio social...

Felizmente,Hillary tem provas de que não mentiu!

É uma veterana de guerra!

SENTENÇA INUSITADA DE UM JUÍZ NO SUL DE MINAS


"Sempre que houver um conflito entre a corrupção e a ética temos que tomar partido"

BARBOSA LIMA SOBRINHO


Esta aconteceu em Minas Gerais (Carmo da Cachoeira).

O juíz Ronaldo Tovani,31 anos,substituto da comarca de Varginha,ex-Promotor de Justiça,concedeu liberdade provisória a um sujeito preso em flagrante por ter furtado duas galinhas e ter perguntado ao delegado:"Desde quando furto é crime neste Brasil de bandidos?"

O magistrado lavrou então sua sentença em versos:


No dia cinco de Outubro

Do ano ainda fluente

Em Carmo da Cachoeira

Terra de boa gente

Ocorreu um fato inédito

Que me deixou descontente.


O jovem Alceu da Costa

Conhecido por "Rolinha"

Aproveitando a madrugada

Resolveu sair da linha

Subtraindo de outrem

Duas saborosas galinhas.


Apanhando um saco plástico

Que ali mesmo encontrou

O agente muito esperto

Escondeu o que furtou

Deixando o local do crime

Da maneira como entrou.


O senhor Gabriel Osório

Homem de muito tato

Notando que havia sido

A vítima do grave ato

Procurou a autoridade

Para relatar-lhe o fato.


Ante a notícia do crime

A polícia diligente

Tomou as dores de Osório

E formou seu contingente

Um cabo e dois soldados

E quem sabe até um tenente.


Assim é que o aparato

Da Polícia Militar

Atendendo a ordem expressa

Do Delegado titular

Não pensou em outra coisa

Senão em capturar.


E depois de algum trabalho

O larápio foi encontrado

Num bar foi capturado

Não esboçou reação

Sendo conduzido então

À frente do Delegado.


Perguntado pelo furto

Que havia cometido

Respondeu Alceu da Costa

Bastante extrovertido

Desde quando furto é crime

Neste Brasil de bandidos?


Ante tão forte argumento

Calou-se o delegado

Mas por dever do seu cargo

O flagrante foi lavrado

Recolhendo à cadeia

Aquele pobre coitado.


E hoje passado um mês

De ocorrida a prisão

Chega-me às mãos o inquérito

Que me parte o coração

Solto ou deixo preso

Esse mísero ladrão?


Soltá-lo é decisão

Que a nossa lei refuta

Pois todos sabem que a lei

É prá pobre,preto e puta...

Por isso peço a Deus

Que norteie minha conduta.


É muito justa a lição

Do pai destas Alterosas.

Não deve ficar na prisão

Quem furtou duas penosas

Se lá também não estão presos

Pessoas bem mais charmosas.


Afinal não é tão grave

Aquilo que Alceu fez

Pois nunca foi do governo

Nem sequestrou o Martinez

E muito menos do gás

Participou alguma vez.


Desta forma é que concedo

A esse homem de simplória

Com base no CPP

Liberdade provisória

Para que volte para casa

E passe a viver na glória.


Se virar homem honesto

E sair dessa sua trilha

Permaneça em Cachoeira

Ao lado de sua família

Devendo,se ao contrário,

Mudar-se para Brasília!


Enviado por G.D.

sexta-feira, 28 de março de 2008

MOEDA COMEMORATIVA


O euro ultrapassou a barreira de 1,5 face ao dólar.

Foi cunhada a nova moeda de 2 euros,para comemorar o facto...

Deve ser por isso que baixou o IVA!!!

quinta-feira, 27 de março de 2008

ENFERMEIRAS


O diário espanhol "El País",na sua edição on line,noticiava

que "não usar mini-saia no trabalho pode signuficar menos dinheiro no fim do mês".

O prémio de produtividade,de 30 euros,foi retirado a 10 enfermeiras e recepcionistas da clínica SAN RAFAEL,Cádis,por terem recusado o "fato de trabalho" e terem optado pelos tradicionais "fatos de saúde".

Para o bem estar dos clientes há que andar com as pernas bem à vista!!!

Estas são as "leis" do trabalho num país da Comunidade Europeia!

Palavras?

Para quê?!


Imagem retirada de www.superdivertido.pt

terça-feira, 25 de março de 2008

A DISCIPLINA É UMA PRIORIDADE


A disciplina é uma prioridade.

Em qualquer sociedade,em qualquer sector,em qualquer actividade,em qualquer profissão.

A indisciplina soa a chicoespertice,a pato bravo.

Por isso,alguns até dizem: "soube a pato"...

NOVOS COBRADORES/CASAMENTOS


Tenho feito algumas postagens sobre este assunto:fuga ao fisco.

Nada tenho contra que se proceda,e de maneira exemplar,contra quem não paga os impostos devidos.

Mas,ao que estamos a assistir,é uma coisa diferente.

Trata-se de sacar dinheiro,de qualquer modo,para aumentar a "receita".

São as penhoras ilegítimas,são as multas de estacionamento,são o ataque ao artesanato e aos produtos tradicionais...

É um "regulamentar" indevido da vida privada das pessoas,mal explicado e,a meu ver,sem o peso moral necessário para fazer tal investida.

É uma espécie de lógica financeira:os bancos aumentam quando e como querem as suas comissões,para que com a falta de dinheiro de um país de pobres tenham lucros obscenos.

As seguradoras não assumem o risco de actividade:aumentam os seguros porque houve demasiados acidentes,demasiados incêndios,demasiadas calamidades,etc.

Os municípios deixam desertificar os centros urbanos,limitam estacionamentos,põem os transportes públicos a funcionar nos horários das repartições,que são os mesmos dos empregos e de creches e infantários.

Por vezes,na mesma família,é obrigatório haver dois carros para suprir essa negligência.

Deixou de existir comércio de proximidade,o que implica pegar no carro para ir às compras a uma grande superfície.

A Polícia Municipal serve para multas de estacionamento (que a autarquia vai acabando) e para reboques.

Nada há,mesmo do que não existe,de que se não pague uma taxa!

Regulamenta-se a vida privada das pessoas:as entidades públicas deveriam ter "organização" suficiente para penalizar quem infringe e não,como estão fazendo,deixar ao cidadão o ónus de provar que não infringiu.

Há comércio paralelo nos casamentos?

Claro que há.Há muitos anos.

Combatam-no!

Não são os noivos que terão de fazer prova!

Quando muito,e fundamentadamente acusados,terão que provar que a acusação é falsa.

Mas,para as instituições,acusar é barato e não faz perder tempo!

Será que alguém viu algum "aumento" na economia com estas medidas?

Só na "economia" de alguns!!!

E quando se poderá falar de uma diminuição de "despesa"?

Sim.

Por exemplo:acabar com a acumulação de pensões de tantos moralistas;acabar com as reformas e prémios de reintegração daqueles que,profissionalmente,só sentam e levantam durante alguns anos;acabar com os ordenados e mordomias obscenas das empresas públicas;punir quem tem contraído obrigações estaduais inaceitáveis;quem anda a promover cursos,em Universidades Públicas,sem quaisquer saídas;quem impede que a sociedade progrida e se desenvolva.

Mas não!

Assim,é mais fácil:

Piercings;

Tatuagens;

Cães Perigosos;

Casamentos.

Tudo assente num princípio verídico:nas duas vezes que foi eleita uma maioria absoluta,foi-o envergonhadamente...

No dia seguinte toda a gente jurava que não tinha nada a ver com isso,não tinha votado "neles".


Foto:calopsitas de Beatriz Fabel Milioli

segunda-feira, 24 de março de 2008

É LINDO,O AMOR!


Como já tenho dito,sou um utente regular dos transportes públicos.

Lá vou sabendo das notícias da cidade e do país.

É sempre uma "sondagem" real,em tempo real.

Também ouvimos histórias deliciosas...

Esta,era contada como real e tendo acontecido na véspera.

Diziam-se os nomes das pessoas e tudo.

Mesmo que seja "inventada",é cheia de humor!

Então,aí vai.

Uma senhora idosa (82 anos) tinha sido detida numa grande superfície,por ter roubado uma embalagem de 0,5Kg de batata.

Tinha ido a Tribunal,nessa manhã,acompanhada do seu fiel marido de sempre (87 anos).

Após os perliminares,o Juiz perguntou à senhora:

Mas porque é que a senhora,na sua idade,foi roubar batatas?

- Porque tinha fome,senhor Doutor Juiz.

- E quantas batatas tinha a embalagem?

- Oito,senhor Doutor Juiz.

- Bem.Para aplicar a lei teria que lhe dar um dia de prisão por cada batata.Mas...

(Levanta-se o marido da senhora)

- Posso falar,senhor Doutor Juiz?

- Atendendendo à sua idade,fale.

- Senhor Doutor Juiz:não posso deixar de dizer que a minha mulher também roubou uma lata de ervilhas!!!


Boneco de Fábio Vessoni

domingo, 23 de março de 2008

VISITA PASCAL


É o segundo ano consecutivo,após várias décadas,que passo o domingo de Páscoa em Coimbra.

Tenho passado a quadra pascal numa pequena cidade do Minho,onde as tradições ainda se vão cumprindo.

Em Coimbra deixou de haver a visita pascal.

Só durante a semana e mediante marcação.

Confesso que não sou o que se chama um "católico praticante".

Mas sempre encarei este Domingo como uma festa,sobretudo por causa da visita pascal.

Eram as ruas atapetadas com flores,pétalas,rosmaninho,alecrim...

Era o som da campaínha que acompanhava a comitiva:padre e cruz.

Eram os miudos que se iam juntando à comitiva assim que a "visita" terminava na casa deles...

E assim o grupo da miudagem ia sempre aumentando e repartindo as guloseimas que lhes eram oferecidas...

Enfim,uma grande paródia!

Por vezes,neste dia levava uns tabefes de minha Mãe.

A razão era simples:a mesa estava posta,aguardando o senhor padre e a comitiva.

Entre as iguarias,o meu preferido era o queijo da Serra.

Acontece que,na maior parte das vezes,o senhor padre além de um bocado de pão de ló e de um cálice de vinho do Porto não tocava em mais nada.

Mas a comitiva atirava-se ao queijo da Serra e ele desaparecia que era um instante.

Quando chegava a minha vez de o provar,já não havia...

Então comecei a usar uma táctica:quando a família vinha toda à porta da rua esperar o senhor padre,eu ia à sala e escondia o queijo!

O queijo só tornava a aparecer depois da comitiva ir embora!!!

Levei uns tabefes por causa disso!

Mas,acreditem:

Hoje sinto a falta da visita pascal.

TEMAS FRACTURANTES




A nossa sociedade vai bem!

Vejamos as "mijas" que hoje são temas fracturante:

O uso de piercings!

As tatuagens!

Os cães perigosos!

Não temos mais nada,com interesse,para debater!!!

Comentários?Para quê?!

Parece uma "conversa" de há 50 anos,entre filho e mãe:

Mãe!Porque é que os meus calções só têm dois botões e as cuecas do pai têm 4 ?

A mãe,embaraçada,respondeu:

Tens uma pilinha pequenina.Quando fores do tamanho do pai,tens que ter mais botões!

O Joãozinho desmanchou-se a rir...

A mãe,intrigada,perguntou:

Porque te ris dessa maneira,Joãozinho?

Ó mãe! Coitadas das beatas!

O senhor Padre tem botões do pescoço até aos joelhos!!!

É verdade!

Porque tentam fazer de nós uns imbecis??!!

sexta-feira, 21 de março de 2008

VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS




A violência nas escolas é apenas uma das partes do fenómeno mais geral: A VIOLÊNCIA!

Lembro-me que,ainda há pouco tempo,um semanário de referência publicava um artigo com o título (citado de memória) :A VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS ESTÁ A DIMINUIR: JÁ NÃO EXPLODEM PETARDOS NA ESCOLA DE SACAVÉM...

É verdade que,progressivamente,vamos sendo inundados de notícias sobre o assunto.

Creio que não conhecemos nem 5% dos casos.

Os da minha geração habituaram-se a confundir,durante meio século,autoridade com autoritarismo.

Talvez,por isso,ao longo de sucessivos governos se fossem deixando caír os "símbolos" da autoridade:polícias,professores,pais,avós,mulheres,etc.

Em simultâneo,a violência foi grassando na sociedade com autoridades fracas e desprestigiadas e atingiu níveis inamigináveis.

Quando era miudo,"gozar" com a autoridade praticava-se...

Mas não nos passava pela cabeça "bater" nos seus símbolos.

Muito menos,levar uma estalada na escola e vir para casa fazer queixa:em casa,seria muito pior!

A aluna da escola do Porto teve o seu "momento de glória"!

Provàvelmente,tudo se irá resolver a bem:uma comissão multidisciplinar ir-lhe-á fazer o acompanhamento psico-pedagógico,para que a jovem não venha a ser afectada no futuro...

A professora terá um processo disciplinar porque não sabe manter a disciplina,nem manter o interesse dos alunos na matéria que ensina...

Sabe-se lá se tem competência para ser professora!

Além disso,perante uma turma inteira,tentou roubar um telemóvel a uma jovem e inocente aluna...

Mas,confesso,não tenho competência para analisar a violência:

Teria que abordar a violência praticada por polícias e contra os polícias;teria que analisar a violência gratuita contra crianças e idosos;a violência doméstica;a violência fiscal;a violência empresarial:encerramento de empresas,sem que os compromissos para com seus trabalhadores sejam assumidos;enfim,um sem número de violências.

Que esta matéria fique para quem sabe.

Por mim,limitei-me a desbafar!


terça-feira, 18 de março de 2008

FORCADOS

Têm sido propagandeados,quase,como um grupo de marginais!
A verdade é bem outra.
Um grupo de forcados é uma grande ESCOLA de vida.
Ali aprende-se a praticar o companheirismo e a solidariedade.
Aprendem-se os princípios e os valores básicos da vida.
O dinheiro e a côr da pele não têm o menor valor.
É uma escola de respeito.

segunda-feira, 17 de março de 2008

RELÓGIO DA TORRE DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA


Uma fotografia de António Dias.

É um lindo relógio.

Durante muitos anos foi o relógio da cidade.

Uma espécie de nosso Big Ben.

Quando queríamos saber as horas,olhávamos para a Torre.

Era a "hora oficial" de Coimbra.

A cidade sempre foi "regulada" por aquela Torre.

Hoje,tudo o que temos a nível de desenvolvimento urbano (bem ou mal) foi "regulado" pela existência da Universidade.

Hospitais,Tribunais,Serviços Públicos,movimento urbano e turístico,comércio e,até,a pouca indústria sobrevivente.

Se a Universidade,por um qualquer descalabro,acabasse a cidade morreria.

Por isso,há que tratar bem os estudantes e não pretender que eles sejam meninos de colégio...

A Queima das Fitas é uma festa oferecida à cidade.

Duas semanas de barulho por ano não são motivo para entrarmos em grandes protestos.

Se não houvesse estudantes esta cidade seria um deserto,com barulhos muito piores!

E também não vejo que tenham que pagar o aluguer do seu recinto de festas.

A Praça da Canção foi-lhes oferecida para eles incomodarem menos.

Haja um bocadinho de equilíbrio e de bom senso.

RIO DE JANEIRO


Comemoram-se os 443 anos do Rio de Janeiro.

Nem sempre foi assim.

Esta é uma imagem da década de 20,da Avenida Atlântica (Copacabana) e do obelisco comemorativo da sua inauguração.

Onde isso vai...

domingo, 16 de março de 2008

A REALIDADE




A realidade é que,há muitos anos e com os sucessivos governos rotativos,não passamos de um País do 3ºMundo.

Convido-vos a fazerem um pequeno exercício:leiam nos vários jornais(tablóides ou de referência) as notícias do dia;vejam na televisão,em qualquer canal,as notícias do dia;já não vos convido,porque seria demasiado penoso para uma grande parte,para andarem diàriamente nos transportes públicos e ouvirem as histórias contadas;ou,simplesmente,estar um bocadinho no café do costume e participar da tertúlia diária;enfim,tudo o que é sítio real,onde se saiba do que vai pelo País ou pela nossa terra.

Qual é a diferença entre o nosso País e outro qualquer da América Latina,ou africano ou,mesmo,desses "países" problemáticos do oriente?!

No roteiro que vos proponho ficamos a saber como funcionam as escolas,os hospitais,a justiça,as polícias,a economia paralela,as novas religiões,o desemprego,etc.etc.

A culpa não é deste Governo.

É de sucessivos Governos que,partidàriamente,vão rodando entre si.

E,todos sabemos que,desta vez,este Governo não tem alternativa mìnimamente credível.

É esse o nosso drama!!!

Talvez se devesse fazer um estudo sério à abstenção.


Pinturas de Joaquín Pallarés Allustrante (1853 - 1935 )

sábado, 15 de março de 2008

AMIGOS








Afinal o urso polar não matou os cães que puxam trenós.



Voltou todas as noites,nessa semana,para brincar com eles.



AMIGOS!
Fotos cedidas por MC

sexta-feira, 14 de março de 2008

O NOSSO CARIBE


Arraial do Cabo é o lugar mais bonito de toda a costa brasileira. Falo com alegria por ser tão perto do Rio de Janeiro. E com tristeza por saber que as péssimas administrações do estado e do município conseguiram detonar a cidade, suas lindas praias e quase tudo por lá. Imagine essa praia da foto acima, sem construções, sem quiosques ou automóveis estacionados na areia. Nem as árvores tinham crescido ainda.

No início dos anos 70, fomos acampar em Arraial. Éramos dois casais, simpáticos, ainda vivos, mas não casados entre si. Fomos de ônibus, carregando um pára-quedas que ganhei de um tio que era do exército e ia ser jogado fora - o pára-quedas, não o tio. Chegamos ao final da tarde na Prainha, que fica logo na entrada da cidade. Não tinha uma árvore para amarrar a nossa estranha barraca verde. Conseguimos uma madeira para servir de mastro central. Armamos tudo marromenos e fizemos nossa fogueirinha, tocamos violãozinho e fomos dormir. O vento da madrugada levantou o pára-quedas, é claro. Afinal, sua função nesse mundo é voar. Parecia uma saia de colegial voltando pra casa em plena tarde de sudoeste. Um pouco mais adiante tinha alguns rapazes acampados que nos deram uma mãozinha fundamental: arranjaram uma madeira maior para segurar a cobertura e nos ajudaram a fazer uma base de areia na parte de dentro, em círculo, para o vento não levar. Olhando de fora, a barraca parecia uma bolha, como os vestidos da moda no último verão, prá derrotar a brisa e os olhares da rapaziada. Foi a primeira suíte em que me hospedei na vida, confortável e espaçosa. Só tinha um problema: o banheiro era do lado de fora.

Todos os dias, sete da matina, o nylon transformava nossa alcova em sauna, éramos enxotados porta a fora, de encontro ao esplendor implacável da natureza em volta. Mas era ótimo, pois o que importava era a praia: do lado direito, uma elevação com uma aldeia de pescadores, que, ficamos sabendo depois, eram os donos da tal madeira. Conversa vai, conversa vem, acabamos amigos e ajudantes de arrastão, quando recebíamos peixes pelo trabalho. Aos 19, 20 anos, não tinha a menor idéia de como fritar um peixe, muito menos num fugareirinho de uma boca na beira da praia, com um vento danado e uma fome urgente, capaz de motivar assassinatos. Aí entraram em cena as mulheres dos pescadores: cozinhavam arroz e fritavam os peixes para nós. Maravilha maior não existe mais nesse mundo de deuses. Hoje, só com cartão de crédito. Retribuíamos tocando violão sob as estrelas, o mar fazendo o coral com suas ondas mais sonoras, ao pé da letra. Do lado esquerdo da praia, uma pedra enorme, inabitável, que adentrava, toda poderosa, o mar, que insistia em bater em sua base, talvez pensando em furá-la, não se sabe pra quê. Coisa da misteriosa Natureza. Na areia, uma pequena birosca, onde comprávamos água mineral e cerveja morna. Como se diz hoje em dia, cash. A Prainha era um pequeno paraíso na face da terra e ali ficamos duas semanas, tomando banho de água doce, vezenquando, num balneário em Arraial do Cabo, onde comíamos um sanduba pra enriquecer a dieta. A cidade era pequena mesmo, colonial, uma jóia muito mais valiosa do que Armação dos Búzios, que hoje detém a coroa por ter conseguido conter a sanha da especulação imobiliária e da desordem urbana que o ser humano instala em qualquer buraco, feio ou bonito. É inerente à condição humana. Hoje se fala muito na preservação do meio ambiente. Já falávamos naquele tempo. Agora, que já passou da hora, a fila andou. É melhor preservar os demais planetas. Enquanto animal que vive em sociedade, o homem pagou um preço muito caro pela sua confortável sobrevivência.

Faz tempo que não vou a Arraial do Cabo para ficar, nem por um final de semana. Esse acampamento foi a última vez em que me hospedei tanto tempo na areia de uma praia, em contato direto com o mar e o céu, sem intermediários de batina ou camisas floridas e máquina de calcular na mão. Recebi num e-mail um arquivo de PowerPoint com imagens daquele pequeno paraíso. Ainda estão lá as praias, as cavernas, as falésias e dunas, mas sabemos que, de perto, nada mais deve ser normal na arquitetura do lugar. Vou voltar lá para ficar uns dias e fiscalizar a área, como uma condoleza qualquer. Quem sabe a coisa ainda está tão bela quanto nós, trinta anos atrás.

VALORIZAÇÃO DO EURO


Ficámos a SABER aquilo que já sabíamos...

Cada vez que aumenta o valor do euro,em relação ao dólar,aumenta o preço da gasolina ao consumidor na zona euro!!!

Isto é incompreensível!

Nem o senhor Governador do Banco de Portugal sabe ezplicar tal mistério!

Também ficámos a saber que a existência de um paraíso fiscal europeu é defendida,por alguns Estados-membros,como uma defesa contra a voragem fiscal de outros Estados-membros!

Aprendemos outra coisa:quando o senhor Governador assumiu o cargo em que se encontra o sistema de retribuição que lhe era aplicado,era outro.

Ele nunca discutiu,nem tem competências que lho permitam,o seu próprio vencimento.

Nos vários areópagos já tem feito sentir que o ordenado é demasiado elevado!

Mas ninguém lhe resolve o problema!

Até lá,lavando as mãos do assunto,vai-se sacrificando a receber um ordenado obsceno!

E assim foi a conversa em família,na SIC Notícias,do Dr.Vítor Constâncio.

Alguém que ajude o senhor a explicar-se e a explicar-nos!

quinta-feira, 13 de março de 2008

O LÍDER DA OPOSIÇÃO


Finalmente,apareceu o líder da oposição ao Governo.

Fez uma aparição inédita e,sem deixar lugar a dúvidas,demonstrou ao Governo com quem,a partir de agora,terá que dialogar cordatamente e bater a bola baixo...

Conseguiu pôr 100.000 professores na rua,de todos os partidos(incluindo os do partido do governo),teve o apoio de vários líderes políticos dos mais diversos partidos e,acima de tudo,demonstrou uma enorme capacidade para unir uma classe contra a Ministra da tutela.

Isto,convenhamos,não está ao alcance de qualquer um!

Nem podemos dizer que tem uma "imprensa" favorável pois,ainda há pouco,era um "alvo" por,pretensamente,querer ocupar o lugar de Carvalho da Silva.

O facto é que congregou professores de todos os lados,"recebeu" o líder do maior partido da oposição,e até as "tias da Linha" levou à manif!

O Governo terá que levar "isto" a sério e deixar de contribuir,com toda a força,com bocas que só servirão para que a "festa" se mantenha por muito mais tempo.

Há que largar a arrogância e,se pretende fazer uma Reforma do Ensino,ganhar os professores para essa causa.

Para não acontecer como na Saúde:desde que o ministro foi embora passou a ser considerado uma pessoa competentíssima que foi impedido de levar por diante um grande projecto.

O nosso Primeiro terá que dar ordens aos seus ajudantes,no sentido de deixarem de ser agentes provocadores.

Ou quererá ver manifes periódicas da saúde,da justiça,das polícias,etc.etc.

Uma maioria absoluta não é o poder absoluto.

Não é prepotência.

Não é arrogância.

Há que saber utilizá-la determinadamente,mas sem enxovalhar o povo
Publicada em 13 de Março.

terça-feira, 11 de março de 2008

E SE MANÉ GARRINCHA JOGASSE HOJE?

Eu não cheguei a ver o Mané Garrincha jogar no Maracanã, ao vivo e em cores. Acho que meu pai, prudentemente, evitou me levar aos jogos do nosso Fluminense contra o Botafogo do Mané, mais conhecido como “Alegria do Povo”. Devia temer uma mudança de time de minha parte. Mas pelo que eu vi em filmes, gravados nas Copas do Mundo de 1958 e 1962, alegria era pouco. O Mané era a própria Felicidade, em pessoa, ali, de chuteiras, transformando em circo um esporte que, passo a passo, estava se tornando o mais querido do mundo. E falando em “mais querido”, vamos ao verdadeiro mote para essa conversa esportiva: a discussão perante as gozações nos adversários. Tudo começou no último FLAFLU, quando o meia Tiago Neves, do Flu, foi comemorar seu terceiro gol dançando o Créu (uma coreografia pornográfica, bizarra mistura de fado e funk) em frente à torcida do Fla. A massa rubro-negra, quieta estava, quieta continuou. A goleada era um fato inegável, ficar revoltado com a gozação era piorar o péssimo. Eu não estava no estádio, vi o jogo pela televisão e depois, acompanhando pelos jornais e pela Internet, não me lembro de nenhuma reação raivosa por parte do perdedor, com exceção do atacante Obina entender que um jovem zagueiro tricolor fez uma ou duas embaixadinhas antes de dar um chutão pra frente, para humilhar os adversários. Quis brigar, todo ofendido. Devia ter escolhido outra profissão, pois no futebol, quem não sabe perder jamais será um vencedor. Frase feita? Conhecemos muitos grandes jogadores que acabaram cedo por essa razão. Não saber perder é primeiro sintoma de um mascarado. Mas a coisa era tão ridícula que morreu ali mesmo. Eu disse morreu? Não foi bem assim. O tal Tiago Neves, que naquela tarde comeu a bola com creme chantili, deu uma declaração à imprensa, ironizando a besteira feita pelo Obina: gostaria de encontrar o Flamengo novamente na partida final da Taça Guanabara. E aí vem um jogador do Botafogo tomar as suas palavras como ofensa, já que, para chegar à final, o Fluminense teria que enfrentar seu time primeiro. Disse que sentiu-se atingido em seus brios, que era coisa de jogador pouco profissional e blábláblá. Sua tática deu certo: conseguiu desestabilizar psicologicamente o time tricolor, que não soube manter o ritmo e, jogando muito mal, perdeu na semifinal para o Botafogo. Cuja torcida dançou o créu freneticamente. Mais falação prá lá e prá cá e o que conseguiram? Transformar o créu na dança oficial de comemoração de uma vitória. Até os velhinhos que jogam damas na praia de Copacabana estão dançando o créu ao faturar uma dama do adversário! Veio a partida final e o Botafogo teve que aturar o créu do Flamengo: perdeu e seus jogadores, técnico e até o presidente do clube foi pra entrevista chorar. Choraram de verdade! Num jogo pela Taça Libertadores da América, Souza, companheiro de Obina, ao fazer seu gol comemorou colocando as mãos nos olhos, como quem chora. E lá vem novamente o técnico e os jogadores do Botafogo reclamar. O jogador Túlio, cabeça de área, acusou o companheiro de profissão de falta de ética. Aí eu fico pensando: quem pode falar em ética, no futebol praticado hoje não só no Brasil, mas no mundo inteiro, em que a violência grassa nos estádios, sob o olhar complacente dos juízes, dos clubes, das federações e da própria FIFA? Será que não consideram falta de ética fazer rodízio de faltas, aplicar carrinhos criminosos, deixar os adversários meses em tratamento médico? Que ética será essa, que faz com que um jogador abandone um clube e sua torcida no meio de uma competição por alguns dólares a mais? Ética tinham os marcadores do Mané Garrincha, que podiam até bater no nosso gênio (que apanhou muito) mas não iam pros jornais dizer que ficavam ofendidos e humilhados pelos geniais dribles “sem ética” que levavam aos domingos, nos diversos campos do Brasil e do mundo. E se o Mané Garrincha jogasse hoje em dia? Estaria sendo investigado por uma Comissão de Ética? Passaria mais tempo nas salas de cirurgia do que nos gramados. O que está acontecendo? Voltamos ao patrulhismo desenfreado? Todos são autores de normas de comportamento e ética? A gozação ao adversário, pelo menos desde que me entendo por gente e torcedor, sempre fez parte importante no ritual que é o velho esporte bretão. Como se benzer e entrar em campo com o pé direito. Como beijar a medalhinha. Como o goleiro bater com a chuteira nas bases das balizas e ir conversar em particular com a rede dentro do gol. Como ir ao estádio sempre com a mesma camisa. Mas agora não pode, todos tem que ser profissionais, isto é, jogar apenas por dinheiro, torcer sem paixão, sem humor, sem graça, como a vida brasileira sem Mané Garrincha.

UM TEXTO DO PEDRO BIAL

Pense nisso...

TUDO O QUE HOJE PRECISO REALMENTE SABER, APRENDI NO JARDIM DE INFÂNCIA...

(Pedro Bial)

Tudo o que hoje preciso realmente saber, sobre como viver, o que fazer e como ser, eu aprendi no jardim de infância. A sabedoria não se encontrava no topo de um curso de pós-graduação, mas no montinho de areia da escola de todo dia.

Estas são as coisas que aprendi:
1. Compartilhe tudo;
2. Jogue dentro das regras;
3. Não bata nos outros;
4. Coloque as coisas de volta onde pegou;
5. Arrume sua bagunça;
6. Não pegue as coisas dos outros;
7. Peça desculpas quando machucar alguém; mas peça mesmo !!!

8. Lave as mãos antes de comer e agradeça a Deus antes de deitar;
9. Dê descarga; (esse é importante)
10. Biscoitos quentinhos e leite fazem bem para você;
11. Respeite o limite dos outros;
12. Leve uma vida equilibrada: aprenda um pouco, pense um pouco... desenhe... pinte... cante... dance... brinque... trabalhe um pouco todos os dias;
13. Tire uma soneca a tarde; (isso é muito bom)
14. Quando sair, cuidado com os carros;
15. Dê a mão e fique junto;
16. Repare nas maravilhas da vida;
17. O peixinho dourado, o hamster, o camundongo branco e até mesmo a sementinha no copinho plástico, todos morrem... nós também.

Pegue qualquer um desses itens, coloque-os em termos mais adultos e sofisticados e aplique-os à sua vida familiar, ao seu trabalho, ao seu governo, ao seu mundo e vai ver como ele é verdadeiro, claro e firme. Pense como o mundo seria melhor se todos nós, no mundo todo, tivéssemos biscoitos e leite todos os dias por volta das três da tarde e pudéssemos nos deitar com um cobertorzinho para uma soneca. Ou se todos os governos tivessem como regra básica, devolver as coisas ao lugar em que elas se encontravam e arrumassem a bagunça ao sair. Ao sair para o mundo é sempre melhor darmos as mãos e ficarmos juntos. É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão.


"O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem souber ver"...

segunda-feira, 10 de março de 2008

OPA HOSTIL À REPÚBLICA PORTUGUESA


Nunca se me pôs a questão da monarquia e da república...

Nasci republicano.

Hoje estamos a assistir a um debate "académico" sobre os dois regimes.

Gostei de ver e ouvir a argumentação do Dr.Paulo Teixeira Pinto,com "toda a lisura intelectual".

Fiquei a perceber porque falhou a OPA do BCP sobre o BPI!

O BCP não era o BC de P...

Traduzindo:

O Banco Comercial Português não era o Banco Comercial de Portugal!!!

Deve ser por isso que,com a televisão da república,está a reformular a OPA!!!

OS PALPITEIROS DA CULTURA


Há muita gente que,pelas mais variadas razões,não teve acesso à cultura.

Muitos,pelo seu próprio interesse e pelos seus próprios meios,fizeram um grande esforço e,hoje,são pessoas relevantes no mundo da cultura.

Outros,mais virados para outros interesses,viram esse mundo como um universo de barbudos ou carecas,desleixados no vestir,sempre de cangalhas sobre o nariz,coisas repugnantes...

Mais tarde,conseguiram um poleiro como "opinadores"...

Vá de desancar no mundo da cultura:são uma espécie de seita,uns bárbaros,umas pseudo-elites...

Mas atrevem-se a opinar sobre o assunto!

O cholrilho de disparates ao alcance de qualquer "opinador".

"A ignorância sempre foi muito atrevida!"

AINDA SOBRE OS MIJÕES


Aproveito o título e o texto de um comentário à postagem "Os urinóis",da autoria do meu amigo G.Também enviado por ele o "boneco" que aqui aprece.

Obrigado G.

" Lá,como cá,os mijões continuam ganhando espaço público,com a omissão das autoridades.(Na falta de poder municipal,estamos vendo surgir o poder municipau...).Na verdade,o que vivemos hoje é a substituição do conceito de autoridade pelo de celebridade:as pessoas tornam-se "políticos" em busca de projecção pessoal,que lhes confere um tipo de poder mais direcionado ao econômico,onde o lucro aparece na forma de benesses,favores,conchavos e outras leviandades que mascaram a ladroagem...

...

Espero que o nosso alcaide botafoguense não leia essa postagem,pois vai adorar a ideia da multa,vai inventar radares especializados em fotografar mijadas públicas,câmeras instaladas atrás de bancas de jornais,sobre árvores e postes,estacionamentos,becos,garagens enfim,em qualquer lugar:do jeito que a coisa vai,respirar e mijar é só começar.

Com certeza,vai gastar muito mais do que na construção de banheiros públicos decentes - pois aquelas "cabines químicas" ninguém merece.

Já agora,uma historinha:

Um cara na hora de aperto,resolveu dar aquela "aliviada" próximo a uma cerca.

Só que ele não reparou que era elétrica...

Deu no que deu... deve ter doído!!

Reacções:

A velhinha indignada: bem feito!

A bicha: que pena!

A prostituta: dou um desconto!

A esposa: comendo a cozinheira de novo?!?

O guarda: não é comigo,já chamei os bombeiros e a companhia de eletricidade!

domingo, 9 de março de 2008

PREVENÇÃO CONTRA BURLAS


Pelas aldeias aqui à volta,pouco habitadas e com a maioria de idosos como habitantes,a GNR tem andado a desenvolver uma útil e louvável campanha de sensibilização das populações contra burlas e assaltos.

Ontem,passei o dia numa dessas aldeias.

Vou-vos contar uma história deliciosa sobre esta matéria.

Há poucas semanas,durante dois dias consecutivos,entre as 7 e as 9 da noite,apareciam dois homens bem vestidos,a bater a todas as portas da aldeia.

A maioria das pessoas,já deitada a essa hora,nem sequer ia ver quem era.

Uma das pessoas que abriu a porta,ao saber para que estavam a bater aquela hora fez uma algazarra tão grande,que um vizinho logo se encarregou de bloquear o sítio com um tractor,enquanto alguém chamava a GNR.

Afinal o que se passava?!

Na aldeia quase não telefones fixos.

Então,aquelas empresas que nos incomodam constantemente e a qualquer hora por telefone,resolveram mandar brigadas para o terreno,para venderem produtos!

Os coitados dos promotores,ou relações públicas ou o que se lhes queira chamar,andam pelas aldeias a tentar vender computadores e ligações à net!!!

Louve-se à acção da GNR.

sábado, 8 de março de 2008

DIA DA MULHER


Hoje é um dia em que me sinto pequenino.

Devo,tudo o que sou,às mulheres que "passaram" pela minha vida.

Avós,Mãe,Tias,sogras,filhas,sobrinhas netas...

Namoradinhas,namoradas,mulheres de ocasião,mulheres a sério...

Com todas aprendi e todas me formaram.

Para ELA que me proporcionou o AMOR e a PAIXÃO vai esta rosa,com um beijo de AMOR e TERNURA!

Obrigado,mulheres da minha vida!




sexta-feira, 7 de março de 2008

LEI ANTI-TABACO


Este é um cartaz nacional-socialista.

Descubra as diferenças!

OS URINÓIS




Há muitos anos,suponho que por razões de higiene,foram acabando os urinóis públicos.

Agora,restam dois ou três,muito afastados e em que há alguém para cobrar a utilização.

Os cidadãos,mais apertados,começaram a utilizar uma qualquer parede,uma árvore,um canteiro,a trazeira de um carro etc...

De facto,a porcaria aumentou!

Agora,através de postura municipal,surgiu a solução:

O cidadão,se for apanhado a fazer tal acto numa situação de aperto,leva com 30 euros de multa!!!

Mais vale continuar a comer em casa,pagar as contas com os nosssos parcos ordenados,do que ter vontade de mijar!

Pelas alminhas,mijem-se nas calças!!!

Olhem que são mais 30 euros para eles!

É mais uma questão de "saúde" financeira!

Mijemos,irmãos!

quarta-feira, 5 de março de 2008

CARTA ABERTA AOS SÓCIOS DO SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO CENTRO


Com este título recebi,por correio normal,uma carta assinada por ANTÓNIO JOSÉ GOMES TELES GRILO (ex-Presidente da MAG e do CG do SBC),vergonhosamente expulso de sócio do Sindicato.

Com permissão do autor e porque concordo com o conteúdo da Carta,sendo eu próprio o sócio efectivo nº 3311 do SBC e seu ex-dirigente,publico o conteúdo da Carta no sentido de que possa ser conhecida por uma maior quantidade de sócios.


Caros Colegas:

Não podemos continuar a assistir,calados e de braços caídos,às sucessivas arbitrariedades,perseguições e irresponsabilidades,que assolam a penosa gestão da Direcção do nosso Sindicato dos Bancários do Centro,com a agravante de não ter sido eleita democraticamente.Com efeito,parece estar a fazer tudo para acabar com um património moral e material que foi sendo construído ao longo de muitos anos,com as nossas contribuições e empenhamento.

Seria porventura mais fácil escrever um documento curto,panfletário,com chamadas de atenção fortes,onde se desse asas à demagogia simples e primária.Porém,sempre optámos por outro caminho,mais difícil certamente,menos apelativo,mas mais sério e consentâneo com a responsabilidade que o S.B.C. exige aos seus dirigentes.

Com efeito:

1. DAS ELEIÇÕES : Os actuais membros dos Corpos Gerentes,tentaram iludir e frustrar os Estatutos,que haviam sido subscritos por unanimidade por todos eles,e que tinham sido aprovados no último Congresso do SBC,realizado em 11 e 12 de Janeiro de 2002.

A sua campanha eleitoral,como todos sabemos,foi desbragada,manipuladora e difamatória até final.

Utilizaram e publicaram documentos anónimos e apócrifos,injuriando os restantes corpos gerentes do SBC que também se haviam candidatado,sufragando a Lista B.

Perderam as eleições,conforme escrutínio da Assembleia Geral Eleitoral e apuramento definitivo levado a efeito pela MAG/CG.

Propuseram contra o Sindicato uma acção de nulidade da deliberação da Mesa da Assembleia Eleitoral e fugiram ao julgamento,(pedindo a suspensão da instância) duas semanas antes da sua realização,que estava marcado para os dias 4 e 8 de Novembro de 2005.

Infelizmente,num aparatoso "golpe de rins" conseguiram a convocação de um Conselho Geral,por despacho judicial que,em nosso entender,constituiu um erro processual,onde foram cometidas as mais grosseiras violações legais,éticas,regulamentares e estatutárias,que nenhum Estado de Direito pode permitir e/ou suportar.

Perante uma Ordem de Trabalhos absurda,ela própria nula e de nenhum efeito,sem prévia distribuição de documentação aos Conselheiros,- como estipula o regulamento - sem debate contraditório e de braço no ar,em grande algazarra,validou-se tudo,isto é:actas sem assinaturas ou com assinaturas insuficientes,cadernos de recenseamento inexistentes ou com falta de assinaturas,votos de colegas que já não eram sócios,actas de agências onde não houve eleições,...um caos.

Em suma:A deliberação soberana da Assembleia Geral Eleitoral,foi sibstituída pela deliberação irregular e nula,de um Conselho Geral sem competência nem poderes eleitorais,hierarquicamente inferior que,pura e simplesmente,desprezou a vontade eleitoral dos sócios do Sindicato.Assim,Colegas,sem mais!

Em consequência,uma tomada de posse,necessariamente precária e sem sentido.

Por isso,é extremamente importante o julgamento marcado para o próximo dia 16 de Junho pelas 14 horas,no Tribunal de Trabalho de Coimbra,aonde se vai decidir da invalidação das decisões do tristemente histórico Conselho Geral de 8 de Julho de 2006,cuja acção foi interposta por vários Conselheiros do S.B.C..

Aí se resolverá,cremos firmemente,pela invalidação das deliberações antes tomadas,com a inevitável destituição dos actuais dirigentes empossados.

Mas atenção Colegas:

Desde que a Juiz marcou data para julgamento,a aflição e o habitual comportamento do Presidente do S.B.C.,não eleito,levaram-no a pressionar,UM A UM,os Conselheiros que haviam proposto a Impugnação Judicial,deixando-lhes a ameaça de poderem sofrer sanções disciplinares ("o pau") e covidando a desistir do processo,aliciando-os com o pagamento integral das custas e despesas processuais ("a cenoura").

2.DA TOMADA DE POSSE : Logo após a soturna tomada de posse,os actuais dirigentes permitiram-se,entre outras,as seguintes medidas:

a) PROCESSOS DISCIPLINARES:

Na sua saga persecutória,instauraram processos disciplinares a sindicalistas que cometeram o "grave crime" de defenderem em todas as circunstâncias os valores e os princípios do sindicalismo democrático,consubstanciados nos Estatutos.

Tais processos,ficaram manchados pela capitulação do Conselho Disciplinar,que abdicou da condição de imparcialidade a que está obrigado,ficou submerso pelo temor reverencial para com o "dictat" da Direcção,com as consequentes suspeições,impedimentos,irregularidades e nulidades,sem que sequer houvesse inquérito preliminar a que os Estatutos obrigam.

Tão pouco foram salvaguardadas todas as garantias de defesa a que se refere o nº 8,do artigo 26º dos Estatutos.

Custa a acreditar,mas é a pura verdade!

Daí,os resultados inevitáveis:Três expulsões,uma suspensão por 6 meses,várias suspensões por um mês e plurimas repreensões registadas,tomadas contra os anteriores titulares dos corpos sociais e contra os sócios que deles faziam parte.

Até Estaline se teria remexido na sua tumba,com gáudio e satisfação,pelas "medidas exemplares" de tão lídimos correligionários.

Eis um horroroso "buraco negro" que ficará,indelevelmente registado,na história de um Sindicato digno e prestigiado.

Parece que um vendaval de insanidade e paranóia devastou a Instituição.

b) ARRANQUE DA PLACA DE HOMENAGEM:

Os actuais empossados,haviam prestado,um ano antes das eleições,pública homenagem ao então Presidente da Direcção,Osório Gomes,comemorando os 25 anos em que esteve ao leme da Associação e descerrando de forma elogiosa e sentida uma placa,no átrio do SBC.

Como animador entusiasta e emotivo orador,destacou-se,pela sua empenhada participação e organização do evento o actual Presidente da Direcção,Carlos Silva.

Porém,logo após a ansiada tomada de posse,deliberou-se,por unanimidade,Carlos Silva incluído,mandar arrancar a placa de memória e homenagem ao Presidente da Direcção cessante,da parede do átrio em que,também por unanimidade,a tinham mandado colocar.

Gesto edificante,companheiros!

c) DA AUDITORIA

Do mesmo passo,ordenaram uma auditoria às contas de 2001 a 2006,porventura justificativa das acusações criminosas feitas durante a campanha eleitoral de:"abusos de poder","coutada particular","quintarola privada","assalto aos cofres do sindicato e ao património dos associados"...etc.

Pois bem Colegas.Afinal a montanha nem um rato pariu!

Para além dos cerca de 15.000 euros que gastaram do bolso de todos nós,a Direcção,empossada judicialmente,pôs em causa o Conselho Fiscalizador de Contas do Sindicato e,de um modo geral,os serviços de contabilidade,para,finalmente,os auditores chegarem à conclusão de que havia:"...alguns aspectos a aperfeiçoar... não resultando da análise a suspeita de actos ilícitos pelos titulares dos corpos gerentes do S.B.C. durante esse período".

Reflectindo sobre mais esta atitude lamentável.

Então não foram os candidatos da Lista A,ora judicialmente empossados,responsáveis pela área financeira do Sindicato e dos SAMS,nos últimos 20 anos?

Desconfiavam de quem?Deles próprios?Dos Conselhos Fiscalizadores de Contas?Dos Serviços Contabilísticos?

Ou seria do Tesoureiro,que durante os anos sobre os quais incidiu a auditoria,ocupou e continua a ocupar,de forma efectiva esse cargo?

3.ORÇAMENTO E CONTAS

Todos os sócios foram informados da não aprovação dos Orçamentos de 2006 e 2007 e das contas de 2005,sem qualquer fundamentação.Pois bem,os mesmos conselheiros e dirigentes,então afectos à Lista A,fizeram aprovar agora esses mesmos orçamentos e contas,sem nenhuma alteração,isto é,aprovaram logo após atomada de posse,sem qualquer pudor,tudo o que tinham reprovado antes.

Que comentários fazer,perante esta estirpe de dirigentes?

Esqueceram-se,no entanto,de fazer menção,que lhes foi legado um valioso património imobiliário,livre de quaisquer ónus ou encargos,e um valor de cerca de 9 milhões de euros em aplicações financeiras em diversas Instituições de Crédito,como resultado de uma criteriosa gestão nos mandatos anteriores.

4. CONTRATAÇÃO COLECTIVA E ACÇÃO SINDICAL

Pouco ou nada se sabe sobre o desenrolar das negociações.Em vez de chegar esta informação somos inundados com a promoção de diversas iniciativas de carácter lúdico,mais parecendo o SBC uma agência de promoção de eventos e viagens.O que não se faz para mascarar a incompetência.Não é só para isto que um Sindicato serve.

Como exemplo,relembramos excertos de comunicados: "A Direcção exportou as suas razões",ou,"as entidades patronais não estão sensíveis a encontrar uma solução para os reformados prejudicados pela carga fiscal porque não é à mesa das negociações que o problema possa ser resolvido".

Ora até um leigo na matéria sabe,e os colegas mais antigos sabem melhor,que o Regime de Segurança Social que está inscrito no ACTV,foi conquistado após várias e duras negociações.Foi na Mesa das Negociações que tal foi conseguido,por quem tinha credibilidade para tal.Não à socapa ou em arranjinhos de ocasião que podem ser favoráveis a curto prazo mas que se mostram desastrosos no futuro.

5.TERRENO DE QUIAIOS

Há muitos anos que as sucessivas Direcções se empenharam na edifiação da Casa do Bancário,com diversas valências:férias,lazer,formação,convívio e residência permanente.

Uma obra desta natureza,além de aturados estudos de viabilidade económico-financeira,exige ponderação e recursos de monta.

Mas também é para isso que servem os Sindicatos.Os Sindicatos do Norte e do Sul e Ilhas,cada um à sua maneira,têm este problema resolvido.

Com esta finalidade,o Sindicato adquiriu à Junta de Freguesia de Quiaios,há anos,um terreno a um preço abaixo de valores de mercado,na condição de ser para uso exclusivo de fins sociais.

O projecto,que tem vindo a ser desenvolvido e acompanhado desde 2001,principalmente pelo Tesoureiro da Direcção,Freitas Simões,está aprovado pela Câmara Municipal da Figueira da Foz,e,naturalmente,foram investidos no mesmo,significativos meios financeiros nos respectivos projectos.

Assim,é com a maior estranheza e apreensão,que tomámos conhecimento de que a actual Direcção se propõe apresentar à Assembleia Geral (porque a tal obrigam os Estatutos) uma proposta de venda do terreno em causa.

De uma assentada,sem mais,pretende-se apagar em definitivo um sonho de há muito tempo dos bancários de verem edificada a sua Casa,com a agravante da inoportunidade de tal venda em termos de mercado imobiliário que,como é do conhecimento geral,se encontra em grave crise.

E vender a quem?Qual o preço? Para quê?

Porque não equacionar uma parceria com outras entidades ou instituições,concretizando o projecto de forma global ou faseada,consoante as circunstâncias e os intervenientes?

Com este e outros exemplos,constata-se a inexistência duma gestão adequada às circunstâncias,falhas de capacidade de realização de projectos nas áreas estratégicas e operacionais.

O Sindicato dos Bancários do Centro,como grande Instituição Sindical queé,a nível nacional e internacional,não se pode conformar com esta triste sina.

Tem de reerguer com firmeza,sempre com tolerância e fraternidade,consolidando-se num Templo de solidariedade e de luta incessante pelos direitos e interesses dos trabalhadores,pela liberdade e democracia,fins últimos da sua existência e da sua organização de Classe.

Coimbra,28 de Fevereiro de 2008

ANTÓNIO JOSÉ GOMES TELES GRILO

Sócio nº 2559 do SBC

#Presidente cessante da Mesa da Assembleia Geral e do Conselho Geral do Sindicato dos Bancários do Centro

#Impugnante,no Tribunal do Trabalho de Coimbra,da miserável decisão de expulsão do Sindicato dos Bancários do Centro



Para que não haja dúvidas esta publicação é feita por Rui Lucas,sócio nº 3311 do SBC