terça-feira, 31 de agosto de 2010

AS desORDENS

Como estamos no último dia do mês,dei-me ao luxo de comprar um jornal.
Fi-lo em boa hora porque,nas últimas páginas do Público,um artigo de opinião de VM com o título "Para que servem as ordens profissionais?" mereceu-me uma leitura rápida,o que é habitual(muitas vezes,nem a leitura rápida lhe dou).
Espantosamente eu estava de acordo,na generalidade,com o que VM escreveu.Admiti que tivesse lido mal e voltei a ler,uma e outra vez...
Confesso que fiquei desapontado comigo mesmo.De que doença grave é que estou a sofrer,para estar de acordo  com VM?!
A verdade é que,com o exemplo que aponta(que,na mesma Ordem,nem é dos mais evidentes) ele traz à tona a existência de associações profissionais com poderes incompreensíveis,protectores de alguns dos seus filiados(a maioria está lá porque a tal é legalmente obrigada),com poderes tão grandes que vão desde a emissão de Carteiras Profissionais até...não se sabe onde.
Nunca percebi a existência destes resquícios medievais não percebo porque não são extintos de vez.
Para processos disciplinares,já existe a legislação laboral adequada.Para a emissão de Carteiras Profissionais,as Escolas que habilitam e formam os profissionais não serão competentes?!
Não me parece que as Ordens sejam "seitas".
O mais grave é que,no horizonte,perfilam- se novas Ordens!São úteis para receber uns dinheiros,aumentarem a burocracia e correlativos,regularem a concorrência entre os seus(impedindo que alguém novo lhes faça sombra),etc.
Sou a favor de uma DESORDEX!

O PONTO FRACO DE CRISTIANO

In publico.es

sábado, 28 de agosto de 2010

ATIRAR PEDRAS,CIVILIZADAMENTE...

Hora de almoço de sábado.
Na entrada do restaurante fez-se uma pequena fila.
Atrás de nós,chegou uma família com um otomano à frente.
Passados 2 minutos,o otomano abanava-se com o jornal e dizia à mulher:
Estás a ver,amor?!Mais vale vires aqui buscar o almoço.Comemos nos pratos de papel e escusas de lavar a louça.
Ditas as sábias palavras,o otomano afastou-se abanando-se com o jornal e arrastando as chinelas.
Entrámos no restaurante,logo seguidos da família sem otomano.
A mulher passou algum tempo ao telemóvel,talvez convencendo o otomano a regressar...
Íamos a meio da refeição quando,na mesa ao lado,a mulher mais uma filh e os netos se levantaram,após meterem um bife num pão.
Do otomano,e da família,não tenho(nem tinha que ter)notícias.
Oxalá não tenham levado umas pedradas,quando chegaram a casa.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

14º CIRCUITO DAS ARTES

Alô,pessoal do Rio!
Não perca esta!
Eu bem vos tenho avisado.
Verão que será um tempo bem empregue e,em meu nome,dêem um abraço aos músicos(especialmente ao Renato).
Na coluna da direita,do som de fundo,já tem disponíveis algumas das belas canções do ESCAMBO.Um trabalho do Nuno.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

TÃO SABENDO?

video
SÓ PUBLIQUEI AQUI PORQUE O NOBRE CIDADÃO
MENCIONOU PORTUGAL EM SUAS TEORIAS HISTÓRICAS. 
PARA NÓS, KING SIZE ERA 
TAMANHO DE CIGARRO AMERICANO...

PORTA DE SALVATERRA

Em tempos fiz aqui referência a Salvaterra do Extremo,terra do meu querido amigo João Diogo que partiu demasiado cedo.Costumava lá ir aquando das minhas estadias em Monfortinho e,muitas vezes,fui à sua casa de família abastecer-me de uns enchidos sem igual.
Hoje refiro-me a Salvaterra do Minho,mais concretamente a Monção e à sua Porta de Salvaterra que abre para Salvaterra do Minho.
Há muitos anos que não via tal Porta.
Este fim de semana a Maria foi em trabalho para Monção.
Montada na sua camioneta Land Rover(um modelo que eu já não via desde a guerra...),lá chegou por caminhos e atalhos a Monção.
Enviou-me esta fotografia da Porta de Salvaterra.
Convenhamos que,como muita coisa,está um bocadito ao abandono...
Nada que a Maria não se esforce por resolver.
Também teve direito a uma bela dormida no Mosteiro dos Capuchos...
É mais uma imagem do Portugal(ou será que é Galiza?!) desconhecido e do nosso património semi-abandonado.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

RESTAURANTE LEONARDO

Suponho que já referi este Restaurante.
Quando vierem à Póvoa de Varzim não deixem de o conhecer.
Está bem localizado,junto ao Casino,e é um espaço simpático.Atendimento profissional,mas familiar.
Boa cozinha,especialmente em peixe e marisco.Uma boa relação qualidade/preço.
Neste dia cinzento e chuvoso lembrei-me de o trazer à baila.
No passado sábado fizemos lá a nossa "reunião" de família.
De entradas apareceram os camarões,as sardinhas pequenas fritas,panados de sardinha,pequenas postas de marmota frita,bolinhos de bacalhau,etc.
De conduto houve salmão grelhado,peixe galo,pescada,robalo e posta mirandesa.
Acompanhámos com um belíssimo "alvarinho" e com um tinto Cabriz.
Mais uns mimos de sobremesa e os 15 saímos satisfeitos.
Para o ano há mais.
 

domingo, 22 de agosto de 2010

Nuvens

Coimbra 22-08-10.
Um Abraço.
Dias.

METRUS DO TONITO

O Tonito,com as suas imagens do Metrus Mondegus,fez o grande negócio da vida dele!
Conseguiu exportar a ideia para o "Metrus Pakistanus"...
Já está em desenvolvimento.
Tens que resguardar as ideias,querido amigo.
Aproveitam-nas e não vês um cêntimo... 

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

ÁGUA QUE PASSARINHO NÃO BEBE!

E aqui estamos, inaugurando a aguardente que recebi de presente do Rui Lucas, diretamente de Coimbra. A dupla ReDrica, recém desembarcados da terrinha, já me contou todas as maravilhas, os carinhos, o afeto dedicado a eles pelos anfitriões, Rui e Rosa. Fiquei com água na boca e fomos provar a prenda recebida. Posso garantir que é coisa fina, tarefa para profissionais. Licor de diretoria. Mais não direi ainda, pois evitamos terminar a garrafa no primeiro dia... Ontem fez um frio glacial por aqui, de maneiras que a aguinha benta chegou em boa hora. Muito obrigado, Rui e Rosa. Espero estar aí com vocês em breve. 

domingo, 15 de agosto de 2010

BRIOOOOSAAAA!

Começar a Liga com uma vitória no Estádio da Luz,contra o Benfica,é obra!
A minha Académica começou com estes 3 pontos.
Diga-se que o Benfica empatou quando a Académica jogava só com 10!
E também ganhou com 10 contra 11!
Alguns papagaios dizem que o Benfica foi prejudicado pela arbitragem...
Alguém se lembra da Académica ser beneficiada quando joga contra os "grandes"??!!
BRIOOOSAAAA!

BOM DOMINGO!

video
UM JINGLE MARAVILHOSO DOS ANOS 60|

sábado, 14 de agosto de 2010

VITRAL

Ainda há pouco li no jornal mais uma denúncia de pedofilia por parte de "representantes de Deus na Terra". E esses calhordas passam a vida dizendo que os pecadores somos nós. Dessa vez foi um pastor de igreja evangélica. Há duas semanas, quando estava indo para o Vale das Flores,  reparei na margem da Rodovia Presidente Dutra um outdoor propagandeando uma "universidade teológica" cujo culto, quer dizer, curso,  era simplesmente "FÉ E FINANÇAS". A tecla de aspas do meu teclado vai gastar se eu ficar escrevendo muito sobre religiões e seus funcionários, então, vou tentar colocar nos blogs de que participo a imagem acima e a denúncia de cada caso de pedolifia que encontrar nos jornais. Mesmo que tenha que trocar de teclado todo domingo...  
a

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

A PRIMEIRA VEZ,DE UM VELHO...

Quando se fica velho,existem problemas novos...
Por exemplo,tratar das unhas dos pés.
Há 3 ou 4 meses que eu adiava a coisa.
Ficavam-me a doer as costas e apressava a tarefa para me safar das dores e do cansaço,de pôr o meu corpo naquelas posições que me permitiam cortar as unhas...
Os pés estavam numa lástima e até já tinha vergonha de andar de chinelos fora de casa.
Num acto de coragem,pela primeira vez fui hoje a uma pedicure.
Durante hora e meia a senhora tratou-me dos pés.
Como nos barbeiros,durante esse tempo,fomos conversando do tudo e do nada.
Já com os pés semelhantes aos de uma criança,ficou um restolho de peles e de unhas no tapete de amparo.
Mas tenho os pés macios,sem peles mortas e com unhas apresentáveis!
Só me apetece saír descalço e mostrar os pés!
Há sempre uma primeira vez,mesmo que seja na minha idade!

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

SOBRAS DOS RICOS

Hoje tem estado um dia cinzento e de vento frio na Póvoa.
Por isso,decidi ir dar uma volta e procurar uma zona mais agradável.
Um bocadinho abaixo,assentei arraiais no Mindelo.
Tenho a sorte de,não sendo proprietário de nada,ter várias casas à disposição em todo o país.
Resolvi fazer um almoço de marisco.
Fui buscá-lo não interessa onde,mas já só apanhei as sobras que os ricos deixaram.
Eles já tinham levado as lagostas,as santolas e o camarão.
Felizmente,para mim,não gostam de perceves e de ostras.Nem do balde de ameijoas que trouxe para o jantar.
Instalei-me na "minha" moradia e,após um breve preparo,aí tinha perceves e ostras à minha espera!
Umas fatias de pão de mistura torradas,manteiga...
Umas garrafas de Pera Manca que lá ficaram do ano passado!
Naquela pequena esplanada,frente ao pequeno jardim abrigado do vento,minha mulher e eu despachámos um belíssimo almoço,aproveitando as sobras dos ricos.
Aqui regressados,ainda trouxemos um balde de ameijoas para o jantar.
Na casa de banho não temos deste papel,mas agrada-nos viver com estas sobras...

UM GRITO DE RAIVA

Um grito de raiva e de impotência!
No seguimento da postagem anterior "mudam-se os tempos,mudam-se as vontades"tão bem musicado e cantado,nos idos de 70,pelo Zé Mário Branco.
Um grito de raiva e de impotência pelo que sofrem,com a própria vida,aqueles que abnegadamente nos tentam socorrer nos momentos de aflição.
Com poucos meios,com uma coordenação pouco compreensível,eles vão morrendo no meio dos fogos.
Todos sabem,até o Ministro o afirma,que se trata de fogo posto.
Há dezenas de anos que a história é a mesma.
Há dezenas de anos que os bombeiros/as vão morrendo.
Quantas dezenas de anos durará o resto da floresta,e quantos bombeiros irão morrer?!
E quantos incendiários continuarão a pegar fogos,impunemente?!
E quantos polícias irão continuar a ser desreipeitados e punidos se,no cumprimento da sua missão,faltarem ao "respeito" ao senhor criminoso?!
E quantos chefes continuarão a dizer que é a vida e que estão a dar o seu melhor?!
E quantos,como eu,lutámos e acreditámos que era tempo de mudança?!
Um grito de raiva e de impotência,não contra este governo,contra todos os poderes e capelinhas que há 35 anos deitam o país ao fundo e vivem como nababos.
Deitaram-no tão ao fundo que até mandaram vir os submarinos para se safarem...
Honra às pessoas de bem.
A corja que desapareça,mais os submarinos!

terça-feira, 10 de agosto de 2010


Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

Luís de Camões

Contra o Calor

Olhem para esta foto quinze segundos.
O ambiente melhora, fica mais fresco.
Um Abraço.
Dias.

sábado, 7 de agosto de 2010

A LAGARTIXA BOÊMIA

Fiquei interessado na prosa do amigo Rui Lucas sobre as osgas. Reconheci o bichinho como primo-irmão das nossas lagartixas aqui do Cunhadão. Aqui, como aí, a maioria das pessoas não se dá bem com lagartixas. As lendas sobre elas ultrapassam a nossa imaginação, mas a que considero mais interessante é a que diz que as lagartixas ficam andando pelo teto esperando a gente dormir. Quando abrimos a boca para roncar elas nos despencam goela a dentro. Outra é a de que não devemos mata-las porque quando seu rabinho fica dançando separado do corpo é porque está xingando a nossa mãe! Eu era um exterminador do futuro das lagartixas e seus primos camaleões e lagartos. Em pleno Leblon, hoje a coqueluche imobiliária do Rio de Janeiro. Chega me deixar com tosse... Mas o que os répteis acima mencionados tem a ver com assunto tão diverso?Vamos lá: o conjunto residencial que hoje atende pelo nome mercadológico de Condomínio Jardim de Ala era cercado de favelas quando fui morar lá, no alvorecer dos anos 60. As favelas foram sendo retiradas para ocupar a Cruzada São Sebastião, um conjunto residencial construído logo atrás. Entre os dois empreendimentos imobiliários tem uma pedreira, onde moravam diversas espécies de répteis, como lagartos e camaleões. Faziam parte de um complexo ecológico que, juntamente com os pássaros e alguns pequenos roedores, com predominância dos ratos, tinham alí seu habitat natural. Nós, adolescentes moradores do Condomínio Jardim de Ala, tínhamos naquela época alguns esportes que hoje em dia ganharam status e nomes dificeis de pronunciar, mas conhecíamos como escalar pedreiras, arco-e-flecha, tiro ao alvo (com espingardas de chumbinho), pegar jacaré, nadar até o Arpoador - digo logo que nunca consegui passar do posto 9 - regatas com bóia de câmera de pneu de caminhão, etc. Além do tradicional Futebol de Botão e das bolinhas de gude. Éramos exploradores das praias e daquela savana em cima da pedra. Nunca consegui escalar até lá em cima, subia por um dos lados, uma espécie de ladeira natural que nos servia de caminho para observar meninas saindo do banho. Geração precoce...
Voltando à vaca fria, as lagartixas eram abundantes no nosso prédio. E eram alvo para nossas disputas de pontaria, assim como os lagartos e camaleões que tomavam banho de sol na pedra e precisávamos de visão aguçada para descobri-los. A sorte era que eles gostavam de mudar de lugar, talvez para ir ao banheiro. Então, tínhamos alguns segundos para atingi-los com qualquer coisa que tivéssemos na mão: espingardas, atiradeiras, pedras... Quem acertava um ganhava pontos na hierarquia da molecada.E daí? Daí que a pedreira foi vendida e sobre ela foi construído o Shopping Leblon. Que conseguiu transformar o pacato bairro de final de litoral em inferno urbano. Gente pra todo lado, imóveis super-valorizados, moradores de rua, camelôs, ruas entupidas de carros, ônibus, caminhões e táxis. Tá certo que em matéria de comércio e cultura melhoramos um pouco, mas se
ganhamos livrarias, perdemos cinemas, quitandas viraram supermercados, pequenos serviços disponíveis a cada esquina estão dando lugar a lojas de roupas, farmácias ou botequins paulistas. Hoje, nos 15 quarteirões da Avenida Ataulfo de Paiva, a principal do bairro, sobrou apenas uma padaria de verdade, que até já andou fechada pelos fiscais da Saúde Pública. Ao seu lado temos uma delicatesse de pães, não se pode chamar de padaria. É uma delícia mas não é uma padaria! Não tem sonhos de creme! E diversos cafés. E farmácias. E sorveterias de iogurte. O Shopping Leblon trouxe para cá as mais famosas grifes do mundo da moda. Os "tênis de marca", que já foram motivo de assaltos a crianças. Os motoristas engarrafando o bairro atrás de uma vaga para deixar sua arma, quer dizer, seu automóvel. O Consumidor tem dinheiro para vir de carro mas não quer pagar o estacionamento dentro do shopping. Fica vagando e atravancando as ruas. E o mais incrivel de tudo isso, é que o bairro que era basicamente de casas, ruas residenciais, pequenos comerciantes que, geralmente, eram também moradores, virou o metro quadrado mais valorizado do Rio de Janeiro, a praia mais cheia, as lojas mais caras... Mas continua ótimo.
Esta semana refiz a trilha da madrugada, visitando os bares que sobraram e que há muito tempo frequento, agora mais de dia do que de noite. E foi a mesma delícia de 40 anos atrás! Guiado por um bebunzinho, grande músico que conhece todo mundo, descobri que ainda tenho conversa para muitas madrugadas, com muitos malucos que frequentam o lado oculto da Lua. Num dos bares percebi uma lagartixa na parede. Não disse nada pra ninguém, poupei sua vida. Mas ai dela se caisse no meu copo de chope! O Leblon dos anos 60 - www.almacarioca.com.br

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

ACTUALIZANDO

Ainda estou na fase de instalação.
A Póvoa está na mesma e tem uma coisa boa:temperaturas amenas que,para quem vem dos trinta e muitos graus,até parecem frias.
Esta tarde,lá dei a minha primeira voltinha.
A zona das barracas está muito estreita e está muito mais gente na praia do que o ano passado.
Outra diferença é que este ano comecei com bandeira verde.
No final da praia passei pela Feira do Livro.
A Feira não é especialmente recomendável.Tem poucas coisas interessantes e os descontos são baixíssimos.
Estava a ver uns livros na zona dos alfarrabistas e apareceu um jovem casal,também vindo da praia.
O jovem ia calmamente vendo os livros e desfolhando um ou outro.
A jovem parceira,impaciente,disse-lhe:
-Amor,comprar livros para quê?!A lê-los só se perde tempo...
E por aqui me fico.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

PETINGAS E JAQUINZINHOS A SALVO

Finalmente!
Mesmo em tempos de crise,conseguimos salvar os nossos tesouros do mar.
Andavam por aí uns assaltantes que,por falta de capacidade de oposição,nos fanavam as nossas petingas e os nossos jaquinzinhos.
Agora,com o Tridente,vamos continuar a poder ter à mesa tão saborosos petiscos.
E as notícias são animadoras:no próximo ano chegará outra unidade de combate.
Então,de uma vez por todas,teremos salvo as sardinhas e o berbigão!

DOS BICHOS...

O Gerson,no Ciclovia,aguçou-me o apetite!
Eu nunca tinha visto um baralho tão apetitoso...
Hoje,tirei-me dos meus cuidados,e fui aos chineses comprar um baralho "bom" para o poker.
Trouxe este!

DAS OSGAS...

Não basta gostar delas e tirar benefícios do seu trabalho...
Também é necessário "produzi-las" para uma noite agradável.
Este é um trabalho muito bom do Tonito.
A osga seria vedeta em qualquer noite algarvia...
Obrigado,companheiro.

AS MINHAS OSGAS

Quando vos digo que tenho mais que fazer,que tenho que tratar das minhas osgas é mesmo verdade.
Elas ajudam-me a limpar a casa de mosquitos,melgas,borboletas,traças,etc.
Nesta época do ano,há muito que são os meus animais domésticos de grande estimação.
Ando mesmo a pensar se não seria bom constituir uma Associação dos Amigos das Osgas.
Que dizem?!

CENTRO ABANDONADO

Onde é que está a casa do meu vizinho??!!

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Lisboa,la capital del vacío

Muito raramente aparecem notícias portuguesas nos grandes jornais estrangeiros.
Quase sempre por más razões...
Foi o que aconteceu,no prestigiado El País.
Uma excelente reportagem sobre o abandono e a desertificação do centro de Lisboa e do Porto.
E as razões lá vêm todas apontadas,quer pela escrita do jornalista Francesc Relea quer pelas opiniões registadas de várias personalidades.
Como já tenho referido,os centros históricos portugueses(salvo poucas honrosas exceções) estão ao abandono e em ruínas.
Os poucos habitantes são idosos e sem capacidade económica de recuperarem as suas próprias casas.
As casas,em geral,estão a caír,desabitadas e vandalizadas.
Como o preço dos terrenos continua sobrevalorizado,os proprietários que não vivem no Centro esperam calmamente que as casas caiam.
Uma grande parte dos proprietários são instituições públicas.Mas o seu comportamento é semelhante ao dos proprietários privados.
É só dar uma voltinha pelo Centro de Coimbra e olhar para as casas...
É uma vergonha!