quinta-feira, 30 de novembro de 2006

CREMAÇÃO
s.f.(lat. crematione)
redução dos cadáveres a cinzas;incineração
Do dicionário anterior ao TLEBS
Nos tempos que correm,acho um tema interessante.
Nunca li,ouvi dizer,vi na TV ou mesmo na blogosfera,qualquer referência a um estudo de impacte ambiental com a cremação.
Será que o nosso pobre cadáver,aquando da cremação,não produz fumos tóxicos ou outra coisa qualquer,que incomoda os vivos sobrantes?
Como cadáver,como serei mais útil aos vivos?
Na lixeira do cemitério?
Naquele vazinho de cerâmica,com umas poeiras cinzentas,que dão aos "herdeiros" após a cremação?
Num bloco de betão,vindo de uma qualquer cimenteira,posto como separador de uma qualquer IP,evitando mortes prematuras?
Não estou especialmente mórbido,mas é um assunto que ainda não vi abordado.
Já agora,se alguém quiser pegar no tema,ao fim de quantas semanas é que o morto é MESMO morto?

quarta-feira, 29 de novembro de 2006

SIM
Sim à despenalização do aborto.
Sim à descriminilização do aborto.
Sim à vida.
Sim a todos os filhos desejados pelos pais.
Sim aos preservativos.
Sim à pílula do dia seguinte.
Sim ao planeamento familiar.
Não à hipocrisia reinante.
Não aos objectores de ética duvidosa.
Não ao negócio com a "miséria"
Sim.
Sim.
Sim.

terça-feira, 28 de novembro de 2006

MANHÃ
Há anos,pelos meus horários,que não conheço as manhãs da minha cidade.
Hoje tive necessidade de as conhecer.
Fiquei com grande vontade de saír cada vez mais tarde.
GERAÇÃO de 40 (III)
Todo este palavreado,porque hoje assisti a cenas que não eram possíveis,há poucos anos atrás.
Antigos colegas meus,na casa dos sessenta e poucos anos,que passaram toda a vida no emprego,viveram bem e tinham até alguma consideração social,foram atirados para a reforma.
Eles,dentro do espírito da tal Geração de 40,nunca fizeram mais nada,nunca tiveram um núcleo de amigos ou de interesses,fora do emprego.
São hoje uns farrapos,que saiem de casa de manhã no horário que lhes era habitual,tomam um café,olham para o jornal,passam pelo velho local de trabalho onde não conhecem ninguém nem ninguém os conhece e metem-se nos copos.
À 1 da tarde,aí está o táxi ou a ambulância a levá-los.
Sei que esta visão é demasiado negra,mas o número real é muito maior que o conhecido.
Conhecer isto é possivel,e chocante,para quem vive num meio pequeno onde até a tal solidariedade está pela hora da morte.
Que,amanhã,tenhamos todos um bom dia.
GERAÇÃO 40 (II)
Assistimos,após a grafonola,ao grande aparecimento da rádio.
Já tínhamos um conhecimento mais concreto da energia eléctrica.
Assistimos à explosão do mundo automóvel.
Caladinhos,para não nos metermos em problemas,sentámo-nos extasiados a ver um programa de televisão.
Tivemos que ir para a guerra colonial e,entretanto,o Homem foi à Lua.
Sempre,calados,convivemos com a CRISE.
Contámos tostões para comprarmos casa,educar os filhos e dar a volta dos tristes,ao domingo.
Participámos,conforme cada um podia,em toda a "loucura" dos anos 60.
Erguemo-nos,com toda a força,no 25 de Abril.
Assistimos ao "telemóvel",mais pesado que o rádio que usávamos durante a guerra e,mais espantoso,à invasão do computador...
aq
GERAÇÃO DE 40
É uma geração melhor que a "rasca" porque,parece,ser maldita.
Nascemos no final da 2ªGuerra,com todas as limitações abrangentes aos povos que conheceram uma Guerra Mundial.
Desde miudos aprendemos a viver com a escassez,mas também com a solidariedade.
A solidariedade,nas terras pequenas,abrangia ricos e pobres.
Talvez que o racionamento se fizesse sentir mais numas famílias,que noutras;aí funcionava a solidariedade porque os miudos não sabiam o que era isso,de pobres e ricos e tinha que haver pão para todos,embora uns já soubessem o que era chocolate e outros nem sonhassem com tal gulodice.
Mas a miudagem,foi sempre habituada à escassez e a saber dar valor aos "chocolates".
Também aprendemos a controlar os nossos ditos,porque as palavras poderiam implicar grande sofrimento,até prisão ou desterro,para toda a família.
Sabemos o que é CRISE desde que nascemos.

domingo, 26 de novembro de 2006

sexta-feira, 24 de novembro de 2006

CHEIAS
"O Governo tem que fazer alguma coisa...
Nós não temos dificuldades em conviver com as cheias,temos dificuldade em conviver com os prejuízos"
Palavras de um "popular" da Ribeira(Porto),há minutos,no Telejornal da RTP1.
Estamos nessa,amigo popular...
CERTIFICADOS DE AFORRO
Esta medida do Fisco lembrou-me uma história antiga,de quase 40 anos,quando entrei para o Banco.
Existia um financiamento,de carácter social,em que o Banco disponibilizava 6 meses de ordenado,sem juros,a pagar em 2 anos,para que o seu empregado fizesse frente a despesas com o seu agregado familiar:mudança de casa,compra de fogão ou frigorífico,mobílias novas,doenças inesperadas,etc.
Uma série de colegas meus aproveitou essa facilidade para constituir um Depósito a Prazo,no próprio Banco.
Estamos a falar de uma época em um belíssimo andar,em Benfica,custava 80 contos;em que o máximo dos máximos,um BMW 2002 ti,também andava pelos 80 contos.
Claro que,face aos abusos,o Banco acabou com essa medida para todos,começando por congelar os tais Depósitos a Prazo.
Conclusão:foram apanhados os chicuespertos,mas pagaram todos.Os grandes devedores,nem tiveram nada a ver com isto.
Com os Certificados de Aforro,a história é semelhante:cerca de 1.500 devedores do Fisco,investiram em Certificados de Aforro.
Tudo indica,perante tal investimento,que nada tenham a ver com grandes devedores.
Mas a central de informação funciona e o povinho bate palmas.
Enquanto isso,os grandes devedores continuam a dever e o Estado mantem o seu nível de despesa.
Até parece que está tudo bem.
Desta vez,quando os vampiros desceram na calçada,já não terão sangue fresco nem manada para sugar.

terça-feira, 21 de novembro de 2006

UMA CARTA DO SALGUEIROS AO PRESIDENTE DOS ESTADOS UNIDOS
"Da Comissão Pró-Estádio do Salgueiros,recebemos,com o pedido de publicação,a cópia da seguinte carta dirigida ao Presidente Nixon dos Estados Unidos da América do Norte.
Excelência:
Aceite Senhor Presidente os respeitos desta Comissão Pró-Estádio do Sport Comércio e Salgueiros.
Os dias que antecederam a amaração da Apolo-13,no Oceano Pacífico,foram uns autênticos dias de preces.Todos os portugueses imploravam a Deus,pedindo o salvamento desses geniais cosmonautas,Deus atendeu os portugueses.
De todo o Mundo surgiram rogos ao Divino Salvador para que acompanhasse os cosmonautas da Apolo-13,mas as orações mais febris partiam do povo português,esses portugueses que sempre tem Richard Nixon no seu coração.Esses portugueses que oram no seu altar Fátima-Altar do Mundo.
Pedimos e fomos atendidos.Os cosmonautas regressaram à Terra,vivos e sãos,cheios de felicidades,orgulhosos do seu êxito.
E assim tudo acabou em bem,felizmente para os cosmonautas e para o mundo civilizado.Sentimo-nos muito honrados com mais uma vitória dos nossos queridos amigos americanos.
Senhor Presidente:
Quem como nós acompanhou a difícil campanha eleitoral,que conduziu,em boa hora,Richard Nixon à Casa Branca,passamos a partir do momento que Vossa Excelência aparecia nas câmaras da televisão e nas páginas dos jornais a ser ferverosos simpatizantes de Vossa Excelência.Foram muitas as vezes,sempre que Vossa Excelência surgia junto do seu povo,choramos de alegria ao depararmos com a figura de Vossa Excelência.
Senhor Presidente:
Que Deus nos ajude também a construirmos o nosso Estádio.Somos um Clube desportivo dos mais pobres de Portugal,mas também nos honramos muito por sermos um dos mais populares Clubes deste País.Precisamos de construir o nosso Estádio,tarefa em que todos nos encontramos empenhados e a braços com o mais grave problema,que é o arranjo de dinheiros para custear a sua costrução.
Que Deus nos ouça e que Richard Nixon nos escute,e que os cosmonautas por quem muito pedimos a Deus,passem agora eles a pedirem para nós,para conseguirmos dinheiro para a construção do nosso Estádio.
Senhor Presidente:
O respeitável nome de Vossa Excelência ficará perpètuamente na história da América e pelo decorrer dos anos,jamais o Mundo se esquecerá de Richard Nixon.
Aceite,Senhor Presidente,a admiração de todos nós e fazemos votos ardentes para que Vossa Excelência continue,com a ajuda de Deus,que é o Povo Amigo da América.
Muito honrosamente assinamos."
("Mundo Desportivo",24-4-70
Transcrito de SEARA NOVA,nº1496,de Junho 1970
Palavras para quê?

sexta-feira, 17 de novembro de 2006

HONORIS CAUSA
Por influência da Universidade de Santiago de Compostela,andam alguns doutores da Universidade de Coimbra em grande alvoroço.
O general Franco foi doutorado "honoris causa" pela multicentenária Universidade de Coimbra.
Há que apagar tal facto,porque o caudilho era a pessoa menos recomendável para tal distinção.
Não me parece que os catedráticos,professores doutores da Universidade da minha cidade,tenham uma pontinha de razão na sua atitude.
Eles podem fazer como eu,simples mortal sem "borla e capelo",repudiar em absoluto o ideário do caudilho.
Não podem negar a História e,muito menos,repudiar os actos de uma Escola com 716 anos.
A nobreza e a grandeza vão-se adquirindo com o passar dos anos,ou dos séculos.
Há que saber conviver com a nossa própria História,com os defeitos e virtudes,com glórias e vilanias,com heroismos e cobardias,para assim fortalecermos a nossa nobreza ou a nossa grandeza.
A Universidade multissecular não pode descer ao ridículo do apagar nomes ou de fazê-los substituir ao sabor da moda de cada época.
Eu,desde sempre,moro junto à Praça da República,em Coimbra.
Sei apenas que alguns anos antes,a mesma Praça chamava-se D.Luis.
Será que a Universidade quer acompanhar as alternâncias,de gosto duvidoso,de políticos e autarcas do mudónome?
Quantas Praças e ruas ou avenidas,temos no nosso Portugal,com nome de assassinos,malfeitores e chicoespertos,que foram heróis no seu tempo? Fazem parte da nossa História e temos que saber respeitá-la e usufrui-la.
A Universidade tem essa responsabilidade.Tem que respeitar os outros para que todos a possamos respeitar.
Basta que assuma a sua História.

sexta-feira, 10 de novembro de 2006

ALTERNE
Fui novamente ao meu velho Dicionário,já anteriormente citado e dei com os burrinhos na água.
O velho livro ainda não conhecia o termo.
De qualquer modo,deu-me uma boa ajuda.
Vejamos o resultado da pesquisa:
ALTERNAR v.tr. Fazer suceder repetida e regularmente;trocar entre si os meios ou os extremos...
Anteriormente já me tinha referido à sucessiva troca de jogadores de futebol e,até,consultei o Dicionário sobre termos que tinham a ver com quem ganhava com isso.
Hoje,se juntarmos as consultas anteriores,podemos dar por terminado o raciocínio.
INTERMEDIÁRIO adj.e s.m. Que ou aquele que está ou se mete de permeio;medianeiro.

Pelos vistos,lá para a banda do futebol,é preciso acelarar a economia.Como já existe a figura do AGENTE,é necessário manter-lhe os proventos através dos sucessivos negócios da sua mercadoria.Quanto maior número de negócios,maior número de comissões e,assim,a economia vai crescendo para aquelas bandas.
Os artistas,jogadores e treinadores,já fazem contratos de trabalho com uma cláusula espantosa:poder rescindir o contrato,quando tiverem uma proposta melhor...Isto sim.Isto é que é um bom contrato de trabalho.
Os Sindicatos tradicionais e as Empresas tradicionais que aprendam.
Agora já começamos a compreender a exportação de jogadores para Chipre,ou de treinadores para os Emiratos,Vietnam,Coreia,etc.
É o alterne no seu melhor.
PESPORRÊNCIA
Até o Ministro das Finanças conhece o termo...

terça-feira, 7 de novembro de 2006

GREVE
Tenho alguma experiência na matéria e participei,pela primeira vez,na organização de uma greve em 1970.
Garanto-vos que foi um êxito e ainda hoje faz parte de vários Manuais.
Nos últimos anos,as greves fazem-se sentir quase exclusivamente no Sector Público e até haverá razões,mais que suficientes,para isso.
Mas tem-se alterado o inimigo principal,aquele que deveria sofrer mais que todos os outros os efeitos da greve.
Vejamos: o patrão é o Estado,que numa visão genérica equivale a dizer que somos nós todos,que financiamos o Sector Público através dos impostos(os que os pagam,evidentemente) e a greve é virada contra nós.
O tal Estado,na semana passada,já poupou cerca de 80 milhões de euros;esta semana irá poupar mais de 100 milhões e os únicos afectados,nos transportes,na saúde,na educação,etc. serão aqueles que até já têm pré-pagamento desses serviços.
Assim,os grevistas têm geralmente contra eles os que deviam ser os seus maiores aliados.
Sem abdicar do direito à greve,sem renunciar à luta pelos seus direitos,cumprindo a sua missão histórica,os Sindicatos terão que encontrar uma maneira em que o seu alvo principal seja atingido,encontrando o apoio dos que actualmente "injustamente" sofrem.
De qualquer maneira,desejo que obtenham bons resultados.

domingo, 5 de novembro de 2006

"TABU Quando os filhos batem nos pais"

Sou assinante da Visão há perto de uma década e leitora assídua praticamente desde o início.

Quando recebi a revista, na passada 5ª feira (02/11), o destaque da 1ª página não me deslumbrou! "O Sr. IKEA" não me estava a dizer nada e as notícias de rodapé também não me fizeram agarrar desesperadamente a revista para ser a primeira a lê-la de uma ponta a outra!

Na capa, para além de anunciar que pode adquirir o último cd dos RÁDIO MACAU "Músicas da Nossa Vida" por apenas mais € 5,99 com este número e o suplemento júnior por mais € 1,50, faz menção a uma reportagem com este título: "TABU Quando os filhos batem nos pais". Também não me entusiasmou especialmente!... Pensei que fosse mais um conjunto de casos deploráveis de abuso de idosos!! Qual não foi o meu espanto quando cheguei à página 92 e vejo um bebé a gatinhar!!!...

É verdade, fui completamente apanhada de surpresa!!... (Talvez porque não tenho filhos...)

Mas nunca pensei que uma mãe pusesse viver ATERRORIZADA com o seu filho de 3 anos!!!...

Pequenos diabinhos, incapazes de sentir "emoções morais"! "O sistema nervoso destes miúdos revela-se incapaz de processar empatia, compaixão e responsabilidade - eles, simplesmente, não sentem culpa"!!!... O futuro são as crianças???... SOCORRROOO!!!...

Não me sinto devidamente autorizada para debater este assunto, apenas gostaria de deixar o alerta para uma realidade que se mantém escondida da opinião pública.

Acho que é um assunto bastante interessante a desenvolver! Deixo aqui o repto!
ACADÉMICA 2 - ESTRELA 0
Apesar do aglomerado de "pernetas",lá conseguimos a 2ªvitória.
BRIOOOOOSSAAAAA!

sábado, 4 de novembro de 2006

Olh' ó Maneta!!!...

Todas as terras têm as suas figuras características e a colecção de manetas, por qualquer motivo, é vasta e atravessa gerações!!... Sejam eles vítimas de um membro atrofiado, possuidores de um toco no lugar de uma mão ou deficiência num membro superior, têm o seu lugar na história da terra!...

O porquê desta reflexão aparentemente despropositada? Pela 1ª vez, nunca me senti tão próximo destas personagens que dominam uma série de expedientes para ultrapassar as suas limitações! Ah, valentes!! Vivem as suas vidas, tão normalmente quanto possível, vão às compras, deslocam-se de uma ou outra maneira, dissimulando (ou não) a sua "imperfeição" à vista do público, trabalham... Enfim, ninguém os ouve lamentarem-se por não poderem utilizar o membro "enjeitado"!!

Agora, vós que sois dextros, experimentem fazer coisas tão corriqueiras como lavar os dentes, calçar umas meias, vestir umas calças, rodar uma chave para entrar em casa, conduzir e meter as mudanças, puxar o travão de mão (já para não falar em rodar a chave na ignição), tudo isso SÓ com a mão esquerda!!!... E lavar o cabelo???... E assinar um documento??... Nem queiram saber!!... Concluindo: se nos acontece algo que nos impeça de utlizar a mão direita, levamos com o rótulo de possuir "INCAPACIDADE ABSOLUTA temporária" para trabalhar!!!... Eventualmente, poderemos partilhar o rótulo com os heróis da nossa terra conhecidos por "manetas", "mãozinhas", etc.

Ao escrever estas linhas à canhota, não posso deixar de me lembrar desses heróis da nossa terra!!... Como é que eles conseguem???... Aposto que não se sentem tão incapacitados quanto eu!!!...

sexta-feira, 3 de novembro de 2006

JURAMENTO 2
Como vemos na História,há uns milénios ,que a "casta" dos curandeiros existe e se auto-regulamenta.
Não venha um charlatão ímpio estragar-lhes o mercado.
Podemos lembrar-nos,os da minha geração,do famoso JURAMENTO do Dec.-Lei 49397 de 24.11.68,da famosa Declaração Anti-Comunista e de defesa até à morte da Constituiçao de 33.
É destes juramentos,tal como os de sangue,que estamos a falar.
Acredito que o único Juramento válido que fiz até hoje foi o JURAMENTO DE BANDEIRA.
JURAMENTO DE HIPÓCRATES
Nos últimos tempos temos sido bombardeados com este juramento,a propósito do aborto.
Como sou um pouco ignorante,descalcei as chinelas e dei-me ao trabalho de ir saber o que é esta "coisa".
Vim a saber que um tal Hipócrates de Cós,que viveu entre 300 e 400 a.C.,vindo de uma família de praticantes da arte de curar,foi o "pai" da deontologia profissional,cujos princípios estão condensados no famoso "juramento".
Vim a saber também,que o Hipócrates não tem nada a ver com os HIPÓCRITAS de Aristófanes que se aproveitaram da etimologia,que tanto dá para "explicar",como para "interpretar",como para "responder".
Este tal "juramento" ou "compromisso de honra",como diziam os antigos,tem apenas valor para a consciência e não produz efeitos de estrita responsabilidade legal,salvo no caso de PREJÚRIO (falso juramento ou falsas declarações em juízo).

quarta-feira, 1 de novembro de 2006

Estados Unidos da Ibéria

Anualmente, cerca de 15 mil portuguesas apanham o avião ou o comboio para Espanha, para interromper uma gravidez indesejada, com todas as condições humanamente aceitáveis para uma operação desta natureza e que lhes são disponibilizadas pelas clínicas privadas espanholas!... Pelos cálculos apresentados pela RTP, fica mais barato ir para fora... mesmo com despesas de avião!!... Há clínicas espanholas, inclusivé, interessadas em expandir o seu negócio em Portugal, empregando (segundo um dos empresários entrevistados) cerca de 40 pessoas!!!... Que espécie de clínica é que abre com um quadro de 40 pessoas????... Alguma especializada em explorar unicamente uma falha da Lei Penal Portuguesa?

E, a propósito, aquela sondagem publicada num semanário e que indicava que a maioria dos espanhóis estão a favor de uma união entre om nossos países e ainda que quase 40% dos portugueses inquiridos partilhavam da mesma opinião!!...

No entanto, quando se fala em salários mais altos, maior poder de compra, ouvem-se vozes lusas, peremptórias e decididas: "É já hoje! Sejamos espanhóis!!" Mas quando se trata de partilhar o resto da mentalidade aberta que rege e mantém aquele grande país, prevendo questões como sejam a adpção por guys ou aborto consentido,... Isso já parece incomodar esses leais (?) defensores dos Estados Unidos da Ibéria!!!...

Ainda temos muito que andar, neste país!!...