domingo, 30 de novembro de 2008

TAROUCOS E GALHOS



"Lenha que não aquece"
Para terminar o mês,nada como as fotografias,o título e o texto,de António Dias.

LUZ SOBRE O DANÚBIO


Em Linz,Áustria,o Museu do Futuro que será inaugurado em Janeiro.
Fotografia de Rubra/Reuters

Ségolène:uma Santana de saias


Aí está o artigo dominical de Sérgio Ferreira Borges,no Diário de Coimbra de hoje.
Como sempre,acutilante e bem fundamentado.
Parece que,pelo menos a nível europeu,os partidos socialistas estão em crise de identidade ideológica.Passaram a interessar-se pelos negócios e pelas "castas":no caso do PSF,é interessante verificar a aposta errada de Jacques Delors em François Hollande,reparada pela sua própria filha,Martine Aubry.
Tal como refere SFB,"os ovos só se contam,depois de vendidos"...
Um abraço,Sérgio.

RECONCILIAÇÃO MADEIRENSE


Uma "visão" de António.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

DIÁSPORA:OS NOIVOS




Os noivos da diáspora já regressaram à sua actividade normal,em Estrasburgo.
Agora,enfrentam os rigores do frio e da neve.
Nada que os ponha tristes.
Um beijo ao jovem casal.

CONFRARIA DO BOM APETITE






Como já é do vosso conhecimento,o nosso grupo de amigos reune regularmente,com os pés debaixo da mesa.
Esta semana,o petisco foi perdiz alentejana com couve lombarda.
Claro que tivemos imensas entradas,realçando uma nova:queijo de Nisa com goiabada.
Muito bom.
Também várias saídas e,como sempre,o bom vinho tinto de Lamas.
Dado que o PEDECABRA se converteu no órgão oficial da Confraria,há a notar:já temos um símbolo!
Na conversa,há a destacar que um dos confrades se auto-elegeu Presidente da Confraria!
Aí os ânimos aqueceram!Optámos por não ter chefes:a nossa organização desorganizada,um bocado anárquica,tem sempre funcionado bem:não precisamos de Presidentes e,muito menos de regulamentos!
Aí ficam com as imagens,num dia consagrado à perdiz de campo,alentejana e,por acaso,até estão os caçadores.
Á vossa saúde!

NOITE EUROPEIA


Para as meninas do Olivais,foi uma noite de glória.
É a primeira vez que uma equipa de basquetebol feminino,a disputar a EUROCUP,passa à fase seguinte.
Esta noite,em Espanha,o Olivais derrotou o Extrugasa por 66 - 65,após prolongamento.
De realçar que a equipe do Olivais,a disputar o troféu europeu,é a única equipe não profissional!
Em Coimbra,sentimo-nos bem!
Parabens,meninas!

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

pedecabra: O LÍDER DA OPOSIÇÃO


pedecabra: O LÍDER DA OPOSIÇÃO
Confirma-se o que publiquei em 13 de Março...

MPP


Os meus amigos músicos que me desculpem mas,desta vez,a sigla MPP não tem nada a ver com a música.
Tem a ver com a Mercearia Popular Portuguesa.
Os da minha geração,e já lá vão mais de 65,sabem que o grande BANCO da sua terra,da sua aldeia ou do seu bairro,era a MERCEARIA do senhor XXXX.
Ali se praticava a economia social:o crédito com juros aceitáveis,os financiamentos nos casos de tragédia,o livrinho da conta,o atendimento personalizado,o telefone público,a distribuição do correio,os editais de casamentos ou mortes,os namoricos,os copos fora de horas,os petiscos,etc.
Ali,todos encontravam todos:o padre,o médico,o alfaiate,o sapateiro,o farmacêutico,o regedor,o guarda-rios,a modista,a professora,a catequista,o sacristão,o regente da filarmónica,o lavrador,os homens do campo,o "brasileiro",o senhor envelhecido pelo paludismo que tinha estado no Congo,etc.
O senhor XXXX,o grande banqueiro,ali estava com a sua família,em relação directa e familiar com os seus clientes.
O banqueiro,honradamente,assumia o risco do seu negócio e,em anos em que as coisas lhe corriam bem,mandava a mulher e os filhos a banhos.
Se as coisas corressem mal,porque corriam mal a todos os clientes,todos ficavam por ali a dizer mal da vida.
Nunca lhes passou pela cabeça pedirem dinheiro para "aguentar" o negócio!
Para isso,vendiam-se meia dúzia de pinheiros!
Estes "banqueiros" foram acabando,em nome do desenvolvimento e foram substituídos por outros que,por razões de mercado,só dão um chouriço a quem lhes der um porco!
E,se houver doença nos porcos,há que reclamar subsídios e pôr o povo todo a pagar-lhes a falta de lucro e os "investimentos" especulativos que fazem.
E,a bem do mercado,o povo que pague directamente ou indirectamente os seus devaneios.
O povo deixou de conhecer os banqueiros!
Como deixou de conhecer outros figurões que tinham obrigação de se lembrar dos tempos da MPP!
Deixo-vos uma fotografia,tirada da net,que mostra a "venda da D.Micas e do sr.Carlos",em Chãs de Tavares,Mangualde.Em Abril de 2006,o idoso casal fechou a loja e o "banco" da terra acabou.
Mais um que foi substituído pelos modernos Bancos.
Aqueles que não assumem o risco do negócio,de que ninguém conhece os donos e a quem todos temos que socorrer quando o negócio dá para o torto.
Tudo em nome do desenvolvimento e do mercado!

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

BRASÍLIA


A "Pedra Fundamental" foi lançada em 7 de Setembro de 1922,no planalto Central do Brasil,antiga comarca de Formosa,município de Planaltina.
Vale a pena rever a "Pedra Fundamental",num postal da época.

BPP



Tem ouvido falar do BPP,mas sabe o que isso é??!!
Ou quem "manda" naquilo??!!

terça-feira, 25 de novembro de 2008

O BEDEL



(...) O Bedel de cadahua das faculdades,chamará à Congregação dellas os Lentes,& Doutores,quando se ouueverem de ajuntar por mandato do Reitor.
Terá cada hum delles hu rol,em q estarão escrittos todos os Estudantes de suas faculdades,com declaração do tempo,em que cadahum começou a estudar,& os annos que tem de estudo:pera que se saiba,se tem tempo bastante,para responder,& arguir nos actos de exercicios,que ordinariamente se hão de guardar. E avisará disso ao Reitor,pera os constranger a teré os dittos actos nos dias assinados,& arguirem no lugar que lhes couber.
Os dittos Bedeis das faculdades,em que forem os actos,ou graos,serão obrigados a levar pessoalmente todos os pontos,& as conclusoes de quaesquer actos ás casas dos Doutores,Mestres ou Lentes,que podem,ou devem ter presentes nos taes actos (...)
Estatutos da Universidade de Coimbra,1559
Tudo isto vem a propósito de uma carta publicada no Diário de Coimbra de ontem,na secção
Fala o Leitor,com o título O senhor Dr.Laborinho... e o nosso Bedel!,assinada por J.Gonçalves,Condeixa.
Começo por dizer que não concordo com o autor nas considerações pessoais que faz sobre o Dr.Álvaro Laborinho.Conhecendo-o,como conheço,desde os tempos da Faculdade de Direito,creio que essas considerações são profundamente injustas.
Lembro o autor que,nos seus tempos de estudante,o Dr.Álvaro Laborinho já era uma pessoa profundamente solidária e era uma figura de destaque do GUDR (antecessor do GEFAC) e de todas as lutas académicas,então travadas(Crise de 1961/62).
Não tenho dúvidas que ele terá ficado chocado,tanto como eu,ao saber da situação do nosso Bedel,senhor Santos.
Acredito que o Presidente do Ateneu dê uma forte ajuda neste caso:fazer regressar o nosso Bedel e sua Esposa à velha Alta,onde consiga tornar a ouvir o toque da Cabra.
Por experiência própria,sei do carinho que o Ateneu(a quem estou eternamente reconhecido) colocará nessa situação.
Do nosso Bedel,senhor Santos,recordo uns breves episódios:
No meu ano de caloiro,em dia de Latada,tive uma aula de Direito Constitucional com o Prof.Dr.Carlos Moreira.
Ia vestido de forma aligeirada,pois a Latada era a seguir...
O Dr.Carlos Moreira,ao ver-me levantado a responder à chamada do Bedel,pôs-me na rua,por estar vestido de maneira menos própria.Aquilo não era uma aula para cowboys,
vestimenta que eu estava a usar.
Cá fora o senhor Santos animou-me e disse-me que não iria fazer "registo" do episódio...
Outro,foi após a minha oral de Introdução ao Estudo do Direito,com o temível Prof.Dr.Pires de Lima.
Em muitos dos dias de exame,o senhor Santos saía da sala com o livro de registos e,aos estudantes que aguardavam os resultados,nos Gerais,limitava-se a dizer:"Boa Tarde,meus senhores" e seguia o seu caminho(sinal que não tinha havido "aprovados")...
No dia da minha oral,abriu o livro,leu o meu nome e disse "aprovado com 10 valores.Parabens,rapaz!".
Eu quase nem acreditava...
Assim,que o senhor Santos,nosso Bedel,regresse à sua velha Alta e torne a ouvir o toque da Cabra!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

CAMILLO E O IMPERADOR DO BRASIL/O bom café e os imperiaes versos



Nem Camillo nem o Imperador deviam olvidar essas duas horas de visita em 1872,á casa de S.Lazaro,no Porto,onde o romancista acolheu o monarca.
Dizem que alem da dedicatoria do Livro de Consolação lhe sacrificou ainda uma obra que estava escrevendo e na qual se bulia com a casa de Bragança colocando,em baixo mister uma bastarda de D.Miguel I.
Esse livro intitulava-se A Infanta Capelista e acrescenta-se ter D.Pedro II solicitado o obsequio de deter a sua composição.Não é crível que ali,deante do poeta Guilherme Braga e de José d'Azevedo,o monarca falasse no caso.Pelo menos o sobrinho de Camillo,meu grande amigo,e com o qual varias vezes discreteei sobre o romancista celebre e uma dellas em Cascaes - em casa do conde de Castro Guimarães,onde tinhamos ido ver o celebre quadro da marquesa de Tavora e almoçar - não tinha aquella impressão.Como na villa realenga estiveram estabelecidos outr'ora parentes de Camillo,a conversação alargou-se e,deante das aguas vastas do mar,azues palhetadas d'oiro,nessa tarde de junho,a palavra bem cortada do conselheiro José d'Azevedo Castello Branco,fez uma serie de revelações sobre o seu illustre tio.
A Infanta Capelista,devia pertencer á série dos volumes que o grande homem de lettras dedicava ao que chamava as suas "carícias á Casa de Bragança",contra a qual,na pessoa de D.Luiz - a quem depois devia render tantas homenagens - armasenava coleras.Sabe-se o que era a susceptibilidade camilliana,o seu poder de investida,a sua rapidez no assalto,a sua furia na desafronta e tambem a celeridade com que se fundiam essas raivas ao menor passo dado pelo adversario em direcção ao romancista ou à mais singela caricia feita ao seu orgulho.
Elle tinha,pois,um motivo de desgosto contra o rei e tudo quanto o pudesse molestar lhe devia convir.Porem naquella epoca,da visita do imperador brasileiro,que lhe afagára a sua vaidade ante o Porto odiado,Camillo mudára,o que nelle era prestamente resolvido.Talvez pensasse não ser D.Miguel o alvo mais apetitoso para seus doestos e que D.Luiz representava o ramo vencedor do principe ao que elle outr'ora - ahi por 1852 - chancàra o seu rei em versos enternecidos.
Disse vagamente,o que se lhe oferecia sobre o assumpto numa carta íntima,a ultima por signal,escrita ao seu grande amigo dr. José Vieira de Castro,condemnado a degredo por ter assassinado a esposa ao topa-la escrevendo uma carta ao seu íntimo José Garrett.
A Infanta Capellista ha muito que está desfeita,a consciencia entrou-me pela algibeira.Perdi muito,cavei difficuldades,mas sinto-me bem comigo.
Acordára nele essa ideia de que um rebento regio duma raça vencida não era a melhor setta para o seu arco de corda retesada,que tencionava disparar sobre o trono do triunfador.
Camillo continuava na mesma carta:
Escrevi,depois,um romance que te hei-de enviar no proximo paquete,intitulado o "Carrasco de Victor Hugo José Alves".Aproveitei grande parte da "Infanta",tudo o que na embarrava pelo trono;mas ainda assim não lhe expungi algumas ironias que hão-de custar injurias dos abjectos que são aos cardumes á volta do rei.
Nessa epoca
já Camillo aspirava ao titulo de visconde que pedia invocando os filhos,aos quaes a honraria não adeantava.É que não se julgava inferior a Garrett e a Castilho nobilitados,a Herculano repudiador das graças reaes.
D.Pedro d'Alcantara não teria interferido directamente no assumpto da destruição das folhas da Infanta Capellista mandadas logo para casa do barbeiro do escriptor,o qual as venderia á mercearia.Não durou muito tempo a hesitação.As paginas do novo livro O Carrasco de Victor Hugo José Alves são as do romance,desarestadas dos sarcasmos,e ele não faria tal se o tivesse prometido ao seu real visitante.Houve quem julgasse tambem,ter sido Anna Placido a dissuadi-lo da continuação da obra,tal como se encontrava,no receio de o ver enclausurado;mas não deve ser ainda esse o motivo da modificação,pois se tal lhe dissessem a prevenção seria o incentivo a maior ataque.
O que elle fez na realidade,foi desbastar tudo quanto pudesse ferir de perto a prosapia real deveras maltratada em seus ascendentes aos quaes capitulava de tudo quanto era mau apresentando - pela boca duma personagem - Portugal "expiando os crimes da Casa de Bragança,alfobre de vicios selvagens,de tragedias sanguinarias,de vilanezes rapacidades".E acrescentava que Nun'Alvares Pereira,o santo,havia sido um façanhudo caudilho de scelerados antes de casar com uma senhora rica do Minho que o afazendou bastantemente para poder alliar uma filha com o neto do deshonrado Barbadão.
E
is uma amostra da prosa vincada na obra que mandára inutilisar publicando outra sobre a mesma bastarda do rei D.Miguel,mas sem maguar tão rijamente os seus avoengos.

...

Texto de Rocha Martins,publicado na revista PORTUGAL,em Setembro de 1924

Imagens da Casa da rua de S.Lazaro,no Porto,onde o imperador visitou Camillo pela primeira vez;autographo do soneto offerecido pelo imperador a Camillo;Casa de Barjorna de Freitas,em Lisboa,onde o imperador visitou Camillo pela segunda vez.

CONTINUA



domingo, 23 de novembro de 2008

Manuela e o soldado Ezequiel


O artigo dominical de Sérgio Ferreira Borges,publicado no Diário de Coimbra de hoje.

Sempre actual e acutilante.

Não me parece,Sérgio,que a sua linguagem seja "excessivamente agressiva".

Parece-me que tem os tons necessários e,por vezes,até pecarão por demasiado aguados...

COIMBRA JARDIM BOTÂNICO


Mais uma magnífica "pintura" de António Dias.

sábado, 22 de novembro de 2008

A MASSAGEM DO ELEFANTE


Que me perdoe o escritor aquele...

DENTES CONTRA A CRISE


Numa casa de penhores de Chicago,está belíssima dentadura em ouro de 16 quilates,com 7 incrustações de diamantes e 3 de rubis...
O ex-dono,empenhou-a para pagar a Universidade da filha e conseguiu os 1.500 dólares necessários!
Hoje,provavelmente,está a ser exibida como troféu numa sala de estar de um qualquer "RR"!
Fotografia de Tannen Maury/EFE

OS "RR"



A família "RR" é recente e,nos últimos anos,tem-se espalhado um pouco por todo o mundo.
São os "ricos rápidos"...
De um dia para o outro,transformaram os seus cêntimos em milhões de euros!
Que se saiba,não se meteram no fabrico de notas falsas,no tráfico de droga,no tráfico de armas ou no negócio da prostituição.
Devo dizer que nada me move contra os ricos.
Mas,tenho tudo contra os "rr".
Apareceram na política,aproveitando as leis neo-liberais e fazendo negócio de influência,aproveitando o seu poder até ao tutano!
Ainda não há muito tempo,ouvimos um deputado dizendo a outro,que ainda há pouco tempo ele andava com um burro,a vender sanitas pela "paróquia" e,agora,já era dono de todos os negócios do território...
Se formos ver os nossos "rr",tiveram quase todos um trajecto semelhante.
Dois ou três não cumpriram esse trajecto:enriqueceram de forma normal e aceitável.
Estes,são a excepção que confirmam a "regra rr"!
Agora,nós,o povinho pobre,mais uma vez é chamada a "pagar" a roubalheira!
Alteração de conceitos educativos:
Quando era miudo,ser ambicioso não era virtude e,mesmo como característica,era pouco recomendável.
Hoje,um jovem que pretenda sucesso,tem que se afirmar ambicioso.
O certo é que ninguém livrará o mundo da família "rr"...
Os que não pertencem à família,já estão na fila para passarem a pertencer!
Que se limpem aos milhões que lhes caíram do céu,mas não nos depenem mais!

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

A IMAGEM


A economia domina a política e a aparência domina a essência
Estamos em tempos difíceis de entender...
Com o domínio das aparências,o mundo ficou de pernas para o ar!
Existe o "império" da imagem,da aparência:diz-nos o que é bom ou mau;como se deve "estar",qual o sorriso que devemos ter em público,que adereços devemos utilizar,a melhor côr de dentes,as medidas do corpo,a roupa de cada ocasião,o cartão de crédito que devemos exibir e,se houver som,as palavras que devem ser proferidas em cada ocasião!
Em ocasiões definidas até são admitidas umas lágrimas,desde sejam cumpridas as regras de chorar!
O "império" também chora o seu crédito mal-parado,mas dentro das suas regras:os contribuintes que lhes paguem a má gestão e os devaneios.O "império" não assume os seus riscos.
Para isso,há que continuar a "esmifrar" as pensões dos pobres ou dos que ainda não têm direito à imagem.
E a imagem ACIMA DE TUDO.
Neste caso,pouco interessará o que a Ministra da Justiça francesa disse,ou tinha para dizer!
O "império" entendeu que ela não podia aparecer com o anel que usa no dia a dia...
Alguém sabe o que a Ministra disse??!!

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

WILLIAM-ADOLPHE BOUGEREAU(1825 - 1905)
















Regressemos à pintura!

FUTEBOL PARA PATOS



Ainda vamos em 65 minutos de jogo e o Brasil já vence Portugal,por 5 - 2!
O Brasil vence e convence.
Nada que me surpreenda.
Não esperava que Portugal jogasse tão mal e deixasse o Brasil jogar tão bem.
Há uma grande diferença entre patos de rio,que sabem nadar com beleza,e patos dourados que só servem para decoração.
Uma curiosidade,relatada pelo jornalista comentador do jogo:neste Estádio,em Gama,a 30 kms. de Brasília,os bilhetes para o jogo custavam entre 30 e 80 euros!
Segundo ele disse,os convidados:políticos,família e amigos,tinham entrada gratuita e preencheram os melhores lugares.
Nada que,em campo,desmereça a vitória do Brasil.
Pura e simplesmente,são muito melhores.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

EXCESSOS DEMOCRÁTICOS




Talvez que já esteja em prática a teoria de Manuela Ferreira Leite:"suspender a democracia durante seis meses,para se "limpar" isto tudo e,depois que regresse a democracia".


A liberdade democrática na blogosfera continua a sofrer investidas.


O "Povoaoffline" foi encerrado,por ordem do tribunal.


O espaço livre e democrático da blogosfera incomoda muita gente.


Talvez que a Assembleia da República ainda venha a perder o seu precioso tempo (e como ele nos custa caro!) a regulamentar esta "actividade".


Calar uma voz é sempre uma machadada na democracia e na liberdade.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

IDOSOS


"Após os 50,restam entre 9 a 24 anos de vida saudável".
Este,um título de 1ª página do Público de hoje,
Refere-se a um estudo publicado pela revista The Lancet que teve por alvo as populações dos 27 Estados-membros da União Europeia.Mostra que os anos de vida com saúde após os 50,variam entre os 9 e os 23 anos para os homens,e os 10 e os 24 para as mulheres.

Inventem o que vos apetecer!
Na Europa CIVILIZADA uma pessoa com 50 anos é IDOSA!
A esperança de vida é r e d u z i d a !
A falência completa dos sistemas de saúde fica completamente à mostra!
Para uma cirurgia,os "idosos",têm que aguardar numa longa lista de espera.
Mas,com sorte,até são operados.
A partir daí,continua o seu calvário:terão que aguardar,em nova lista de espera,pelos cuidados continuados!
A partir dos 50,segundo os teóricos europeus,andamos aqui A MAIS!
Há que exterminar os tais IDOSOS!
Pelos vistos,o meu prazo de validade já terminou há muito!
Vão-se f...

A VIAGEM DO ELEFANTE


Aí está a 1ªedição da última obra de José Saramago.
Só fiz uma rápida leitura oblíqua.
Mas,corresponde à expectativa.
A incrível viagem de "Salomão",de Lisboa a Viena de Áustria,em meados do séc.XVI.
"Sempre chegamos ao sítio aonde nos esperam."
Boa leitura!

domingo, 16 de novembro de 2008

DIÁSPORA




Nos primeiros anos do séc. XX,meu avô materno,perdido de amores,abandonou a mulher e cinco filhos e rumou ao Brasil,para ir ter com a sua amada.
Cortou todos os laços com a família e com a própria comunidade portuguesa no Brasil.
Anos mais tarde,ficámos a saber que casou com a sua amada e constituiu uma nova família.
Como?!Não sabemos,nem nos interessa muito.
Minha avó,com cinco filhos e vivendo numa aldeia bastante pobre,viu-se com as dificuldades inerentes à situação.Os tempos eram difíceis,Desde que me conheço,os tempos são sempre difíceis,em Portugal.
Primeiro,enviou os rapazes,para o Brasil em busca de uma vida melhor.
Eles,sem qualquer contacto com o pai,estiveram uma temporada no Brasil e rumaram à Argentina onde fizeram as suas vidas e por lá ficaram,até à hora da morte.
Anos mais tarde,minha avó decidiu que a filha mais velha(12 anos) estava na idade de partir.Lá foi para o Brasil,ao cuidado de uns tios,e por lá constituiu a sua família,no Rio,tendo falecido há poucos anos.
Também ela,não teve qualquer contacto com seu pai.
Por cá,ficou minha avó com as duas filhas mais novas.
Minha mãe,a mais nova,ficou com o apoio da irmã e a cuidar da Mãe.
Por isso,eu tive a sorte de ter duas mães:a própria e minha tia-madrinha.
Meus tios radicaram-se na Argentina.
Minha tia,mais velha,radicou-se no Rio.
De meu avô,tive notícias o ano passado,quando estive no Rio e fiquei a conhecer uma sua bisneta,jornalista e figura pública da televisão brasileira.
Este é um pequeno aspecto da diáspora portuguesa,procurando melhores condições de vida.
De há uns anos para cá,têm sido os brasileiros a fazer esse percurso.
Também,noutros países,procuram melhores condições de vida.
Foi a vez de a família portuguesa,reconhecer à família brasileira,o muito que nos ajudou.
Uma jovem carioca,minha prima em 2º grau,obteve a nacionalidade portuguesa,quando rumou à Europa,há dois anos atrás.
Após a licenciatura na Universidade do Rio de Janeiro,obteve uma bolsa para fazer o seu mestrado em Antropologia,em Estrasburgo.
Alan,também ele carioca e oriundo da diáspora alemã,obteve o seu mestrado em História do Direito e prepara o doutoramento em Estrasburgo.
Pois este jovem casal,abaixo dos 30 anos,resolveu casar em Portugal onde a noiva tem a sua residência oficial.
As coisas foram tão rápidas que os pais da noiva não conseguiram estar presentes à cerimónia.Minha mulher e eu próprio fizemos o nosso melhor:assumimos de uma maneira muito séria o "encargo" de padrinhos da noiva.
Felizmente,à última hora,a mãe do noivo conseguiu uma passagem "milagrosa" e esteve presente.
A festa foi muito bonita.
Meus filhos acolheram a "irmã" mais nova.
Dentro de poucos dias,o casal regressa a Estrasburgo.
A familiaridade e solidariedade da diáspora ficaram mais fortes.


A PROLETARIZAÇÃO DOS PROFESSORES


O artigo dominical de Sérgio Ferreira Borges.


Com a sua habitual acutilância,com ironia q.b..e com a lucidez a que nos habituou.


SFB,tal como eu,há uns anos atrás,era apelidado de social-fascista...


Nada que nos faça perder o sono...


Tal como eu,também não renega o passado,nem faz "fretes" à direita!


Vale a pena ler na íntegra.


Um abraço,Sérgio.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

OBAMA "Não,não podiam"


Este artigo de Nuno Pacheco,publicado no P2 de ontem,é uma das melhores análises que li,até hoje,sobre a vitória de Obama.
Aqui fica,pois:
Calhou ouvi-lo tocar em Lisboa naquele dia e foi estranho.Agarrado ao saxofone,tem hoje 78 anos mas parece que ainda ecoa com o mesmo grito."Um gemido africano",como alguém escreveu há muitos anos,quando Ornette Coleman tocou pela primeira vez em Portugal.Foi numa quinta-feira,25 de Novembro de 1971,e estávamos na primeira noite do 1ºFestival Internacional de Jazz,no já defunto pavilhão do Dramático de Cascais.Tocara Miles Davis,tocaria ainda Dexter Gordon.Mas entre os dois,Ornette electrizava a plateia com as ousadias do free.Jazz,bem entendido,porque "free" era coisa que faltava à época e não só por cá."Quem é que não sentiu um nó na garganta com a violência(negra) do quarteto de Ornette?",interrogava o Diário de Lisboa em 1971.E quem não o sentiu agora,ao ouvi-lo tocar no dia seguinte à vitória de Obama?
É certo que Ornette não é Ann Nixon Cooper,106 anos,nascida uma geração depois da escravatura,dada como exemplo por Obama no discurso da vitória como alguém que no seu tempo não podia votar porque era mulher e porque era negra.Nem Gertrude Baines,114 anos,filha de escravos,que votou agora num homem de que esqueceu o nome para que houvesse pela primeira vez uma colored person no topo da Casa Branca (a história do Los Angeles Times,era contada na Pública de ontem).Mas Ornette viveu o suficiente (ainda vive) para sentir na pele o segregacionismo,a humilhação de ter de entrar nos clubes onde tocava pela porta das traseiras,o tempo em que ter a pele mais escura implicava viajar na parte de trás dos autocarros.O tempo em que se achava natural a supremacia branca e até ter um apartheid em plena África.
Obama usou como palavra-chave da sua campanha o Yes,we can.Talvez para deixar claro que houve um tempo em que negros e mestiços ouviam "Não,não podem".Pois isso mudou.E se o racismo não acabou ainda,há outras maneiras de lidar com ele.Por estes dias,o rapper negro Soulja Boy veio agradecer à escravatura o ter permitido aos negros sair de África.Um choque.Mas Carlinhos Brown,baiano e mestiço,já tinha agradecido à colonização portuguesa,uns anos antes,a miscigenação brasileira.
"Portugal pode ter sido um grande bem para a cultura negra;e isso ainda vai ser percebido",disse ele em Lisboa,em 1999,e não houve escândalo nenhum.
Obama,por sua vez,ao falar há dias do cão que prometeu comprar às filhas quando forem para a Casa Branca,disse que a sua vontade era ir a um canil buscá-lo."Porque ali muitos cães são rafeiros como eu",disse ele.Um insulto?Não,uma serena vingança (Berlusconi chamou-lhe "bronzeado"),mas ninguém disse que todos os presidentes dos EUA foram até agora euro-americanos.
Para terem um presidente realmente americano,teriam de eleger um sioux,um comanche ou um cheyenne,se ainda restasse algum em estado puro...
Mas com a miscigenação a triunfar sobre as raças,talvez este homem que tem em si a grandeza de quatro continentes seja o que aparenta:um grande Presidente.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

LANZAROTE


Vindo de Glasgow,este Boeing 737 da Air Europa,na aterragem em Lanzarote saiu da pista.
Trazia 74 passageiros.
Felizmente,não houve feridos.
Fotografia de Martinez de Cripan/EFE

domingo, 9 de novembro de 2008

McCAIN,BUSH & BARROSO SA


Como sempre,o artigo dominical de Sérgio Ferreira Borges publicado no Diário de Coimbra de hoje.
SFB leva-nos a uma análise mais profunda sobre o que se passou nos EUA e o que se irá passar a seguir,sobretudo nas relações com a Europa.
Como sempre,vale a pena ler com atenção.
Está confirmado que é um bom jornalista.
Até para a semana,Sérgio.

FLORES DA MADEIRA










Tinha prometido que iria publicar imagens das flores da Madeira.
Infelizmente,durante a minha curta estadia,o tempo foi desfavorável:chuva,vento e neve.
Os percursos dos parques naturais tornaram-se inviáveis.
De qualquer modo,gostei bastante de lá ter estado (atenção:sou quase madeirense!) e,na próxima estadia,talvez que o tempo me ajude.
Assim,aí ficam as fotografias possíveis.
E,amigas/os,se vos for possível,não percam uma temporada no arquipélago da Madeira.
Verão que não se arrependem.