segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

MÁRIO CRESPO

Vale a pena seguir esta história.
Ficaremos a conhecer melhor a leviandade,a inimputabilidade e a falta de educação de alguns dos centuriões.

6 comentários:

maria disse...

...leva-me a dizer que há necessidade de protagonismo como mártir perseguido, por parte do
MC...agora "escutam-se" as
conversas e faz-se um artigo de opinião,baseado nisso...
E não o proibiram de publicar...
porque não avançou com as consequências que daí adviriam?

aminhapele disse...

Ainda falta saber muita coisa,querida Maria.
De facto,o artigo de opinião não foi publicado.
Se o artigo tivesse sido publicado,claro que MC teria que assumir as suas responsabilidades.
Até porque nomeia as pessoas intervenientes na tal conversa.
O que me fez mais impressão foi os ditos comedores,em local público e sem o volume de voz reduzido,fazerem aquele tipo de comentários,para que toda a sala ouvisse.
Por isso,falo em falta de educação.
Quando almoçamos aqui em casa permitimo-nos dizer aquilo que nos apetece,sobre os nossos centuriões.
Mas estamos á vontade.
As nossas conversas não saiem da mesa da sala e não temos escutadores.
Algumas vezes,também em restaurantes,já ouvi coisas semelhantes,na mesa ao lado,ditas por políticos no activo sobre outros políticos no activo e com o propósito de toda a sala ouvir.
Curiosamente,a última vez que fui obrigado a escutar uma coisa dessas,um político falava sobre a actividade de outro político do mesmo partido.

maria disse...

Pois...mas...sedentos de poder
andam todos, políticos do mesmo
"saco" e de "sacos" diferentes e o
chamado 4ºpoder,comunicação social,
bate-se, dia a dia, pela mesma causa,fazendo mau jornalismo como os que fazem má política.... e,daí,
este degradamento a que assistimos.
A concentração da comunicação social é um mal a abater e o MC disso não fala...

aminhapele disse...

Tens razão,querida Maria.
Como deves ter notado,tornei-me a enganar sobre a "maria" a quem estava a responder...
Sobre o tema:como imaginas,não alinho nas ideias do MC.
Mas,dele sempre tive uma noção de jornalista sério.
Acredito que,neste caso,se tenha sentido e manifestado a sua dor num artigo de opinião.
Como sabes,num artigo de opinião a responsabilidade é de quem opina.
MC,como jornalista de longa data,ao escrever o que escreveu,não estava a fugir com o rabo à seringa.
Claro que um jornalista,no seu jornal,não noticia uma conversa que "ouviu" na mesa do lado.Mas,se o insultam,ele não fica quieto!
Se o "passarinho" que lhe soprou a conversa é da sua confiança,como é que é MC ia ficar calado?!
Um beijo,amiga.

Isabel Amado disse...

Tenho o MC na conta de um homem sério, profissional integro e competente, o que não significa que partilhe com ele muitas opiniões. Até posso concordar que haja um pouco de vitimização, mas não me parece que com isto pretenda notoriedade ou protagonismo, mas a minha leitura é antes de que terá sido a manifestação " a quente" de um homem ferido na sua dignidade profissional.Por outro lado, e de acordo com o que têm vindo a público também não me parece válida a argumentação do JN - ausência de comprovação dos factos. O José Leite Pereira é um jornalista com larga experiência, então e exige comprovação de factos e revelação de fontes aos seus colaboradores de tudo o que se publica no seu jornal? Em minha opinião o artigo deveria ter sido publicado integralmente e se o senhor PM se sentisse incomodado pois accionaria os mecanismos legais que existem para esse efeito e lá estaria o Meretíssimo Juiz para avaliar as razões de cada um. Claro que isto se passa numa democracia em liberdade o que começo a duvidar que seja o nosso caso.

aminhapele disse...

De acordo,Isabel.