quinta-feira, 9 de outubro de 2008

PARGOS E SAMBA


O almoço,ao que dizem,estava muito bom.
A foto que vos deixo,foi do início e esperávamos uma amiga.
Entretanto,fomos comendo uns camarões e petiscando uns queijos.
Digo-vos que foi a primeira vez que provei queijo de Mirandela.
Gostei!
No final do almoço,não sei se ainda ontem ou já hoje,ensaiámos o samba com que o Gerson nos presenteou.
Como somos um bocado trôpegos para o samba,tentámos em fado corrido.
Pena,não haver gravação.
Foi um êxito.
Agora,como todos os velhos,preciso de ir descansar...

3 comentários:

Lilás/Beth disse...

Hummmmmmm, queijo de mirandela, qual será o gosto, parece-se com o quê?
E o pargo, ficou no ponto?
A mesa estava bonita, vinhos elegantes e bem arrumada, inclusive com os anfitriões que são uma simpatia.
Agora, não consigo imaginar samba misturado com fado. Como daremos nome a isso? Talvez samfado ou
sambado? haha
abraço carioca

aminhapele disse...

Imagine um bocadinho,querida amiga.
Aproveitámos o poema do samba(se calhar,dentro de pouco tempo vai ouvi-lo aí) e cantámos em fado corrido.
Não misturámos as músicas.
Quanto ao queijo,só lhe saberia explicar o sabor comparando com outros queijos portugueses(é uma mistura de vaca e ovelha,com um sabor ligeiramente apimentado...).
Os pargos!
Coitados.Foram-se e até as espinhas ficaram sem nada que se aproveitasse!
A minha "velhotinha",que me atura as loucuras há trinta e muitos anos,divertiu-se imenso.
Os amigos,esses,são AMIGOS.
Um abraço.

Anónimo disse...

Mas oiça aqui, meu velho amigo: quando o almoço (os aperitivos, camarões, samba, queijos, vinhaças, fado, rodelas de morcela ou de farinheira, broa e outros temperos) começam ao raiar das 4 e tal, qual a espantação de que não acabe no mesmo dia?
Um homem não é de ferro. Tem que ser devagarzinho. N'é mesmo?

Bom, registei: não misturaram as músicas. Isso, sim, é a medida que nestes eventos se não pode esquecer.

Quanto ao cruzamento do samba com o fado, a nossa amiga (é sua amiga, não é? Então é nossa amiga, claro) andou lá perto: creio que se chama safado!

Como diria a viúva do papa (não sei se do Bórgia se de outro) parafraseando Horácio: CARPE VITAM!

mc