quinta-feira, 29 de março de 2007

ANTONIO BARRETO


O que é bom,quando se é reformado,é termos tempo para o que nos apetece.

Até ver televisão...

Apreciei muito a entrevista ao António Barreto,feita por Judite de Sousa.

Gosto muito dele,desde o tempo em que foi Presidente do CITAC.

Até,há muito,já lhe perdoei a Lei Barreto!

Mas há coisitas,se calhar de somenos,em que continuo a discordar:

Há pouco,ele repetiu,referindo as grandes diferenças da sociedade de há 45 anos e a actual,que uma das grandes diferenças é a do papel da mulher na sociedade.

Estou completamente de acordo.

Mas Judite pediu-lhe que explicitasse as origens dessa grande diferença.

António Barreto referiu as duas que ele entende principais:

1.O aparecimento da "pílula",que deu grande liberdade às mulheres;

2.Essa liberdade levou-as à conquista do mercado de trabalho,o que fez juntar a liberdade a uma certa independência económica.

Claro que estou de acordo,mas creio que estas duas diferenças tiveram origem em dois factores não referidos:

1.A emigração;

2.A Guerra Colonial.

Estes dois factores,no início da década de 60,provocaram uma completa "sangria" dos homens,em Portugal.

As mulheres,que ficavam,foram FORÇADAS a organizar a vida familiar,fazendo de pai e mãe.

Por esse tempo,de grande expansão dos serviços,no mercado de trabalho quase só havia mulheres.

E elas cumpriram de forma exemplar o seu papel e claro que aproveitaram o ávido mercado de trabalho e a "pílula" que dava os primeiros passos.

É só nesta pequenita coisa que discordo do que António Barreto defende.

16 comentários:

jpg disse...

Por mero acaso tive a oportunidade de ouvir com atenção a entrevista.

Muito bem a entrevistadora e António Barreto foi, para mim, um dos poucos políticos que respeitei.

Continuo a gostar dele, sempre calmo, lúcido e igual a si próprio,com um coerente enem sempre fácil percurso de vida.

Concordo em absoluto com o Rui, mas não creio que o A.Barreto tenha dito o contrário. Apenas não se terá referido a esses dois factores e aí, sim, faltou-lhe essa parte para as suas palavras ficarem completas.

um abraço.

al cardoso disse...

Tambem gostei muito da entrevista ao Antonio Barreto!

Disse uma coisa que os novos economistas de meia tijela deveriam pensar bastante: "o maior crescimento economico de Portugal ja alguma vez visto, aconteceu na decada anterior ao 25 do A"!!!

Anónimo disse...

"PILULA" - "espécie de bolinha ou confeito farmacêntico, destinado a engolir-se inteiro" in Dicionário de Augusto Moreno.
Este Barreto saiu-me um grande pilureiro.

jlf disse...

Não vi o programa.
(Claro que o embirrar com a televisão... é uma moeda com duas faces!... Mas creio que o saldo continua positivo. P'r'a minha banda).
Não devia estar em casa - senão a Teresa chamava-me...

Mas leio o AB com muito proveito.
Quanto ao resto...
Atão não é que amp também tem razão?

Saravá!
mc

albertino jarreta javardo disse...

É um comunêsta, é qu'ele é!
Ele e mais tantos!
Havia de ser comigo a mandar!
Cá na êlha nem piam!...
ajj

vaidemim lorpeiro disse...

Ó jarreta!
Quantos são?
Ó jojó! Tu sabes?
vl

jojó nunca pingo nas calças disse...

Bastantes! Penso eu de que!
jnpc

aminhapele disse...

Ó anónimo:
"...vaso em que se fazem pílulas.."
O AB poderá ser o que lhe apetecer,mas vaso ele não é certamente.

aminhapele disse...

AL
Até estamos de acordo,mas o AB faz a afirmação como sociólogo.
Eventualmente,se fosse economista,teria dito a mesma coisa de outra maneira!
É a tal "especialização".
Que Fornos de Algodres "empurre" prá frente.
Obrigado pela visita.

rui disse...

caro aminhapele,
"FIALHO!" ??????
tem de me dar mais uma pista.

aminhapele disse...

Rui:
Estranhamente,nunca ouvi dizer mal daquilo!

aminhapele disse...

jojo!
Ainda faltava este!
O dos gazes!
Ainda não consegui foi compreender o que é que os gazes têm a ver com a bexiga!
Toma as gotas.

vaidemim lorpeiro disse...

Ó murcãoeh!
E tu calas-te?
vl

jojó nunca pingo nas calças disse...

Qu'é que tu queres, vaidemim?
Atão não se vê logo qu'ele tá do lado da p*** da Carolina? Penso eu de que...
(Se fosse o outro não prantava estrelinhas. Escrevia puta - com todas as letras.
Mas eu não sou javardo - embora também seja jarreta.
Eu tive berço. Não digo ordinarices!
Só as faço.
Discretamente.
Penso eu de que!)
jnpc

greentea disse...

tencionava ver mas depois passou-me ... mas discordo que tenha sido a pilula a causadora da mudança de mentalidades .
Falemos da emigração, da guerra . No resto da Europa as mulheres já tinham a folha feita desde que entraram na 1ª e na 2ª G.Guerras. Nós não estrámos em nada e apanhámos com a Ditadura , a Censura e outras lisuras, daí o estado em que muitas mulheres ainda permanecem, mesmo tomando a pílula (do dia seguinte)... A própria tv tem grande impacto, em zonas onde as mulheres têm poucos contactos , em ambientes mais fechados de pequenas aldeias do interior, mas a tv lá chega e elas vão-se informando e divulgando...

aminhapele disse...

De acordo Greentea.
Obrigado pela visita.
Volte sempre.